A Derradeira Lista de Verificação de SEO para 2021

Avatar
Head of Content @ Ahrefs (or, in plain English, I'm the guy responsible for ensuring that every blog post we publish is EPIC).
Estatísticas do artigo
  • Websites com ligações 2
Dados de Explorador de Conteúdo

Mostra quantos websites diferentes estão a ligar para esta peça de conteúdo. Como regra geral, quantos mais websites ligarem para si, melhor posicionamento terá no Google.

Mostra o tráfego de pesquisa mensal estimado para este artigo de acordo com os dados da Ahrefs. O tráfego atual de pesquisa (como reportado no Google Analytics) é geralmente 3-5 vezes maior.

O número de vezes que este artigo foi partilhado no Twitter.

    Seguir esta lista de ver­i­fi­cação de SEO aju­dou-nos a aumen­tar o tráfego do nos­so blog para mais de 640.000 vis­i­tas de pesquisa mensais.

    Esta fun­ciona para lojas online, empre­sas locais, web­sites de afil­i­a­dos — qual­quer coisa.

    Aqui está a lista de verificação:

    1. Lista de ver­i­fi­cação bási­ca de SEO
    2. Lista de ver­i­fi­cação de SEO técnico
    3. Lista de ver­i­fi­cação de pesquisa de palavras-chave
    4. Lista de ver­i­fi­cação de conteúdo
    5. Lista de ver­i­fi­cação de SEO na página
    6. Lista de ver­i­fi­cação de con­strução de hiperligações

    Como utilizar esta lista de verificação de SEO

    A maio­r­ia das lis­tas de ver­i­fi­cação de SEO não con­segue comu­nicar como o SEO é um proces­so con­tín­uo. Em vez dis­so, lis­tam tare­fas aleatórias e fazem pare­cer como se o SEO estivesse con­cluí­do e elim­i­na­do assim que as verificar.

    Este não é o caso, então demos a cada item de nos­sa lista de ver­i­fi­cação uma dessas tags: 

    • Faça uma vez
    • Faça peri­odica­mente
    • Faça sem­pre que pub­licar uma nova página

    Esta estru­tu­ra sig­nifi­ca que não pre­cisa de faz­er tudo o que está nes­ta lista de ver­i­fi­cação, hoje. Faça as tare­fas úni­cas primeiro, depois as tare­fas per­iódi­cas e, em segui­da, con­clua as tare­fas em desen­volvi­men­to sem­pre que pub­licar uma nova página.

    Vamos lá.

    Vamos começar com algu­mas práti­cas recomen­dadas de SEO que todos devem ter à mão. Isso não vai mel­ho­rar dire­ta­mente o posi­ciona­men­to, mas é impor­tante para ficar numa posição mais alta no Google.

    1. Configure o Google Search Console

    O Google Search Con­sole é uma fer­ra­men­ta gra­tui­ta para ras­trear o desem­pen­ho da pesquisa orgâni­ca do seu website. 

    Aqui estão algu­mas coisas que pode faz­er com esta ferramenta:

    • Veja as palavras-chave para as quais se posicionou
    • Ver­i­fique a posição
    • Encon­tre erros do website
    • Envie sitemaps

    Apren­da como con­fig­urá-lo no nos­so guia pas­so a pas­so.

    2. Configure as Ferramentas para Webmasters do Bing 

    As Fer­ra­men­tas para Web­mas­ters do Bing são essen­cial­mente o equiv­a­lente do Bing ao Google Search Console.

    Apren­da como con­fig­urá-lo aqui.

    3. Configure as Ferramentas para Webmasters da Ahrefs 

    As Fer­ra­men­tas para Web­mas­ters da Ahrefs (AWT) são uma fer­ra­men­ta gra­tui­ta que aju­da a mel­ho­rar o desem­pen­ho do SEO do seu web­site e obter mais tráfego de pesquisa orgânica.

    Aqui estão alguns recur­sos principais:

    • Analise o seu web­site para procu­rar mais de 100 prob­le­mas de SEO
    • Veja todos os seus back­links
    • Veja todas as palavras-chave que classificou

    Sai­ba mais sobre AWT aqui:

    https://www.youtube.com/watch?v=ipTk-qGrNlc

    4. Configure o Google Analytics

    O Google Ana­lyt­ics é uma fer­ra­men­ta gra­tui­ta que per­mite ver­i­ficar quan­tas pes­soas estão a vis­i­tar o seu web­site, de onde vêm e como estão a inter­a­gir com ele.

    Apren­da como con­fig­urá-lo neste guia.

    Nota adi­cional.
    Tam­bém vale a pena asso­ciar o Google Search Con­sole ao Google Ana­lyt­ics para con­sul­tar os dados do Search Con­sole no Ana­lyt­ics. Apren­da como faz­er isso aqui.

    Leitu­ra recomen­da­da: Como Uti­lizar o Google Ana­lyt­ics para Mel­ho­rar o Desem­pen­ho de SEO

    5. Instale um plugin de SEO

    Se estiv­er a uti­lizar o Word­Press, pre­cis­ará de um plu­g­in de SEO para o aju­dar a otimizar coisas como sitemaps e meta eti­que­tas.

    Aqui estão algu­mas boas opções (só pre­cisa de uti­lizar uma):

    Adi­cionar meta títu­lo e descrição com Yoast.

    Se estiv­er a uti­lizar uma platafor­ma de web­site difer­ente, como o Shopi­fy, provavel­mente não pre­cisa de um plu­g­in de SEO.

    6. Crie e submeta um sitemap

    Os Sitemaps infor­mam os motores de pesquisa onde podem encon­trar con­teú­do impor­tante no seu web­site para que pos­sam ras­trear e indexar as suas pági­nas com facilidade.

    Esta é a aparên­cia do sitemap do nos­so blog:

    Nor­mal­mente, pode encon­trar o seu sitemap num destes URLs:

    /sitemap.xml

    /sitemap_index.xml

    /sitemap

    Leia isto se não con­seguir encon­trá-lo e, em segui­da, apren­da como sub­me­ter o seu sitemap no Google e no Bing aqui.

    7. Crie um ficheiro robots.txt

    Robots.txt é um ficheiro de tex­to sim­ples que infor­ma os motores de pesquisa onde podem ou não aced­er no seu website.

    É sem­pre uma boa práti­ca ter um ficheiro robots.txt, mas é obri­gatório se pre­cis­ar de impedir que os motores de pesquisa ras­treiem pági­nas ou seções do seu web­site. Por exem­p­lo, se gere uma loja online, pode não quer­er que eles ras­treiem e index­em a pági­na do seu carrinho.

    Blo­queio da sub­pas­ta /cart/ no robots.txt.

    Pode ver­i­ficar se já tem um ficheiro robots.txt ace­den­do a oseudominio.com/robots.txt. Se vir um arqui­vo de tex­to sim­ples, está pron­to para prosseguir. Se vir mais algu­ma coisa, pesquise no Google por “ger­ador de robots.txt” e crie um.

    Leitu­ra recomen­da­da: Robots.txt e SEO: Tudo o Que Pre­cisa de Saber

    Prob­le­mas téc­ni­cos de SEO geral­mente impe­dem um web­site de ter um posi­ciona­men­to tão alto quan­to este merece. Aqui estão as mel­hores práti­cas téc­ni­cas bási­cas que todos devem seguir.

    1. Planeie a estrutura do seu website (somente novos websites)

    É cru­cial que os vis­i­tantes e os motores de pesquisa pos­sam nave­g­ar facil­mente no seu web­site. É por isso que pre­cisa de cri­ar uma estru­tu­ra de web­site lógica.

    Para faz­er isso, ela­bore um mapa men­tal simples:

    Cada ram­i­fi­cação do mapa deve ser uma lig­ação inter­na para per­mi­tir que os motores de pesquisa e os vis­i­tantes naveg­uem entre as páginas.

    Leitu­ra recomen­da­da: Estru­tu­ra do Web­site: Como Con­stru­ir a sua Base de SEO

    2. Certifique-se de que o seu website é rastreável

    O Google não con­segue indexar ade­quada­mente o con­teú­do que não pode ser ras­trea­do, por­tan­to, vale a pena ver­i­ficar o relatório de Cober­tu­ra no Google Search Con­sole à procu­ra de avi­sos ou exclusões rela­cionadas com o robots.txt.

    Se dese­ja que o Google indexe qual­quer uma das pági­nas blo­queadas cor­re­ta­mente, deve remover a regra que está a causar o blo­queio do seu ficheiro robots.txt.

    Leitu­ra recomen­da­da: Robots.txt e SEO: Tudo o Que Pre­cisa de Saber

    3. Certifique-se que o seu website é indexável

    Indexar e ras­trear são duas coisas difer­entes. Só porque os motores de pesquisa podem ras­trear uma pági­na, não sig­nifi­ca que pos­sam indexá-la. Se hou­ver uma meta eti­que­ta de robots ‘noin­dex’ ou uma tag x‑robots na pági­na, a index­ação não será possível.

    O Google infor­ma sobre URLs não index­a­dos no relatório de Cober­tu­ra.

    Tam­bém pode encon­trar estas infor­mações no relatório de Index­a­bil­i­dade da Audi­to­ria de Web­sites da Ahrefs.

    Se tiv­er pági­nas ‘noin­dexed’ que dev­e­ri­am ser index­adas, remo­va a tag ‘noin­dex’.

    Leitu­ra recomen­da­da: Robots Meta Tag e X ‑ Robots-Tag: Tudo o Que Pre­cisa de Saber

    4. Certifique-se que utiliza HTTPs

    HTTPS é um fator de posi­ciona­men­to leve con­fir­ma­do.

    Sim, isto está erra­do. HTTPS não é um fator na decisão de indexar ou não uma pági­na. Usamos HTTPS como um fator de posi­ciona­men­to leve, e ter HTTPS é óti­mo para os uti­lizadores. Um cer­ti­fi­ca­do gra­tu­ito do Let’s Encrypt fun­ciona na mesma.

    Se ain­da não usa HTTPS, é hora de faz­er a mudança.

    O posi­ciona­men­to poten­cial aumen­ta à parte, HTTPS pro­te­gerá os dados dos seus vis­i­tantes. Isto é espe­cial­mente impor­tante se tiv­er for­mulários de con­ta­to no seu web­site. Se pedir sen­has ou infor­mações de paga­men­to, não é ape­nas impor­tante; é uma neces­si­dade absoluta.

    Como saber se o seu web­site uti­liza HTTPS?

    Pro­cure um cadea­do na bar­ra de pesquisa do seu navegador:

    Nota adi­cional.
    Pode obter uma cer­ti­fi­cação SSL gra­tui­ta do Let’s Encrypt.

    5. Certifique-se de que o seu website está acessível num domínio

    Os vis­i­tantes não devem ser capazes de aced­er ao seu web­site em vários locais. Isso pode levar a prob­le­mas de ras­trea­men­to, index­ação e segurança.

    Para ver­i­ficar se tudo está em ordem, junte estes qua­tro URLs em httpstatus.io:

    • http://oseudominio.com
    • http://www.oseudominio.com
    • https://oseudominio.com
    • https://www.oseudominio.com

    Se tudo estiv­er bem, três deles devem redi­re­cionar para o quarto.

    Se isto não acon­te­cer, pre­cisa de con­fig­u­rar um redi­re­ciona­men­to 301 per­ma­nente.

    Se estiv­er a uti­lizar HTTPS (dev­e­ria estar), tam­bém é impor­tante que a ver­são acessív­el do seu web­site seja a ver­são segu­ra. Pode ser https://oseudominio.com ou https://www.oseudominio.com.

    Leitu­ra recomen­da­da: Redi­re­ciona­men­tos 301 para SEO: Tudo o Que Pre­cisa de Saber

    6. Certifique-se de que o seu website carrega rápido

    A veloci­dade da pági­na tem sido um fator de posi­ciona­men­to em com­puta­dores des­de 2010 e em dis­pos­i­tivos móveis des­de 2018.

    É fácil perce­ber porquê. É frus­trante clicar num resul­ta­do de pesquisa e ter que esper­ar que ele car­regue. É por isso que a prob­a­bil­i­dade de salto aumen­ta à medi­da que a veloci­dade da pági­na diminui.

    Pode usar fer­ra­men­tas como o Page­Speed ​​Insights e o GTMetrix para ver a veloci­dade de car­rega­men­to da sua pági­na da web.

    No entan­to, essas fer­ra­men­tas podem ver­i­ficar ape­nas uma pági­na de cada vez. Para ver­i­ficar todas as pági­nas, ras­treie o seu web­site com a Audi­to­ria de Web­sites da Ahrefs. Verá pági­nas lentas sinal­izadas no relatório de Desempenho.

    7. Certifique-se que o seu website é compatível com dispositivos móveis

    A maio­r­ia das pesquisas é fei­ta em dis­pos­i­tivos móveis, por­tan­to, ter um web­site otimiza­do para este tipo de dis­pos­i­tivos é mais impor­tante do que nunca.

    Ver­i­fique se o seu web­site pre­cisa de desen­volvi­men­to com a fer­ra­men­ta de teste de com­pat­i­bil­i­dade para dis­pos­i­tivos móveis do Google.

    8. Instale um plugin de compressão de imagem

    A com­pressão de ima­gens tor­na os arquiv­os de imagem menores e mel­ho­ra a veloci­dade da pági­na. Isso é impor­tante porque a veloci­dade da pági­na é um fator de posi­ciona­men­to do Google.

    Se estiv­er a usar o Word­Press, exis­tem vários plu­g­ins para isso. Gosta­mos do Short­Pix­el. Este per­mite com­prim­ir até 100 ima­gens por mês gratuitamente.

    Se estiv­er a usar out­ra platafor­ma de web­site, pesquise no Google por um plu­g­in ade­qua­do ou use a apli­cação web Short­Pix­el.

    9. Corrigir páginas corrompidas

    Lig­ações cor­romp­i­das podem ter um impacto neg­a­ti­vo na sua exper­iên­cia de uti­lizador e que­brar o fluxo de ‘autori­dade’ den­tro e fora do seu site.

    Para encon­trar lig­ações cor­romp­i­das no seu web­site, use as Fer­ra­men­tas para Web­mas­ters da Ahrefs.

    1. Ras­treie o seu site com a Audi­to­ria de Websites
    2. Vá para o relatório de pági­nas internas
    3. Pro­cure por erros de “pági­na 404”

    Veja como lidar com quais­quer lig­ações cor­romp­i­das que encontrar:

    Leitu­ra recomen­da­da: Como Encon­trar e Cor­ri­gir Lig­ações Cor­romp­i­das (Para Recu­per­ar “Sumo de Lig­ações” Valioso)

    10. Corrija problemas de conteúdo duplicado

    O con­teú­do dupli­ca­do é o con­teú­do exata­mente ou quase dupli­ca­do que aparece na web em mais de um local. É um prob­le­ma comum de SEO de lojas online, graças à nave­g­ação fac­eta­da. Só isto pode causar cen­te­nas de prob­le­mas de con­teú­do duplicado.

    Pode encon­trar prob­le­mas de con­teú­do dupli­ca­do gra­tuita­mente com as Fer­ra­men­tas da Ahrefs para webmasters.

    1. Ras­treie o seu site com a Audi­to­ria de Websites
    2. Vá para o relatório de Con­teú­do duplicado
    3. Ace­da ao sep­a­rador “Prob­le­mas”

    Cor­ri­ja-os can­on­izan­do os URLs afe­ta­dos quan­do for necessário.

    Leitu­ra recomen­da­da: Con­teú­do Dupli­ca­do: O Guia Com­ple­to para Principiantes

    A pesquisa de palavras-chave é a peça mais impor­tante do que­bra-cabeça do SEO. Se não sabe quais são as palavras-chave que as pes­soas estão a procu­rar, como pode otimizar o seu con­teú­do para os motores de pesquisa?

    Siga estes itens da lista de ver­i­fi­cação para começar com o pé direito.

    1. Encontre uma palavra-chave primária para segmentar

    Cada pági­na do seu web­site deve ter como alvo uma palavra-chave primária prin­ci­pal. Deve faz­er pesquisas de palavras-chave peri­odica­mente para encon­trar algu­mas para seg­men­tar, mas tam­bém se deve cer­ti­ficar de que está a escol­her a mel­hor palavra-chave cada vez que pub­licar uma nova página.

    Como saber qual é a mel­hor palavra-chave?

    É aque­la que rep­re­sen­ta a for­ma mais pop­u­lar de pesquisa sobre o assunto.

    Por exem­p­lo, dig­amos que está a escr­ev­er uma pub­li­cação sobre as mel­hores pro­teí­nas em pó. Exis­tem muitas maneiras de as pes­soas pesquis­arem isto, como:

    • qual é a mel­hor pro­teí­na em pó
    • mel­hores suple­men­tos de proteína
    • mel­hores bati­dos de proteína

    Então, qual para destas palavras-chave seg­men­ta, se houver?

    Feliz­mente, há uma for­ma fácil de desco­brir isto. Bas­ta pesquis­ar no Explo­rador de Palavras-chave da Ahrefs e olhar para o Tópi­co-pai. Nor­mal­mente, esta é a for­ma mais pop­u­lar de pesquis­ar a mes­ma coisa.

    Nota adi­cional.
    O tópi­co-pai não é 100% infalív­el. Mostra sim­ples­mente a palavra-chave que envia a maior parte do tráfego para a pági­na de posição supe­ri­or da sua palavra-chave. Nor­mal­mente, essa é a mel­hor palavra-chave para seg­men­tar, mas nem sem­pre, por­tan­to, não deixe que isso atro­pele o bom senso. 

    Leitu­ra recomen­da­da: Como Faz­er Pesquisa de Palavras-chave para SEO

    2. Avalie a intenção da pesquisa

    A intenção de pesquisa é a razão por trás da con­sul­ta de um uti­lizador. Se a sua pági­na não estiv­er alin­ha­da com isso, as suas hipóte­ses de posi­ciona­men­to são quase nulas.

    Como avalia a intenção de pesquisa?

    Observe os tipos e o for­ma­to das pági­nas posi­cionadas no Google para a sua palavra-chave primária.

    Por exem­p­lo, podemos ver nos URLs e títu­los dos resul­ta­dos mais bem posi­ciona­dos para “capaci­dades de mar­ket­ing” que são todas pub­li­cações de blog. Quan­to ao for­ma­to, são prin­ci­pal­mente lis­ti­cles.

    Se seg­men­tou esta palavra-chave com uma pági­na de ven­da de um cur­so, provavel­mente não a posi­cionar­ia porque ela não cor­re­sponde à intenção de pesquisa.

    Leitu­ra recomen­da­da: O Que é Intenção de Pesquisa? Um Guia Com­ple­to para Principiantes

    3. Avalie as suas hipóteses de posicionamento no Google

    Com­preen­der a facil­i­dade ou difi­cul­dade de posi­ciona­men­to para uma palavra-chave aju­da a pri­orizar a opor­tu­nidade e definir expec­ta­ti­vas realistas.

    Para uma esti­ma­ti­va ini­cial, use a pon­tu­ação de difi­cul­dade de palavras-chave no Explo­rador de Palavras-chave.

    Mas nãocon­fie nis­to inteira­mente. Ver­i­fique você mes­mo os resul­ta­dos para coisas que podem indicar uma palavra-chave difí­cil de decifrar, como:

    • Back­links de alta qual­i­dade para as pági­nas de mel­hor posicionamento
    • Pre­dom­i­nan­te­mente grandes mar­cas no top 10
    • Alta relevân­cia de tópi­co dos web­sites mais bem posicionados

    Apren­da mais neste tuto­r­i­al.

    4. Pesquise o que as pessoas querem saber

    Dig­amos que alguém pesquisa “palavras-chave de SEO”. Pode ver, ao anal­is­ar a intenção de pesquisa, que as pes­soas estão à procu­ra de uma definição do ter­mo, mas que out­ras per­gun­tas elas têm? E que out­ras infor­mações deve incluir no seu conteúdo?

    A caixa “As pes­soas tam­bém per­gun­tam” do Google fornece algu­mas infor­mações sobre isso:

    Para obter mais ideias, abra três pági­nas de posição supe­ri­or e cole-as na fer­ra­men­ta Lacu­na de Con­teú­do da Ahrefs. Isto mostrará as palavras-chave para as quais uma ou mais pági­nas estão classificadas.

    Bas­ta então exam­i­nar os resul­ta­dos de palavras-chave que pos­sam rep­re­sen­tar sub­tópi­cos. No nos­so caso, podem ser “exem­p­los de palavras-chave” e “como usar palavras-chave para SEO”.

    Escol­her a palavra-chave cer­ta é impor­tante, mas todos os seus esforços serão em vão se o seu con­teú­do não estiv­er à altura. Siga estas dicas para aumen­tar o nív­el do seu conteúdo.

    1. Resolva o problema do leitor

    Com­preen­der a intenção de pesquisa é a primeira eta­pa para resolver o prob­le­ma do leitor, porque reflete que tipo de con­teú­do está a ser procurado.

    A pesquisa é out­ra eta­pa importante.

    Mas para cri­ar um con­teú­do real­mente exce­lente, é pre­ciso ir além e real­mente con­sid­er­ar o prob­le­ma do visitante.

    Por exem­p­lo, use uma con­sul­ta como “dicas de pro­du­tivi­dade”. Ao avaliar a intenção de pesquisa, fica claro que os uti­lizadores dese­jam uma pub­li­cação de blog em lis­ti­cle. E se pesquis­ar­mos as pub­li­cações mais bem posi­cionadas, ver­e­mos con­sel­hos comuns como “faça pausas” e “coloque as coisas no papel”.

    Emb­o­ra não haja nada de erra­do com estas dicas, as pes­soas que procu­ram “dicas de pro­du­tivi­dade” provavel­mente querem ideias mais práti­cas que pos­sam imple­men­tar imediatamente.

    Por­tan­to, provavel­mente vai quer­er ir além de sim­ples con­sel­hos como “faça pausas”.

    2. Escreva uma introdução vencedora

    Se não con­seguir con­vencer os leitores de que a sua pági­na ofer­ece o que eles dese­jam em alguns segun­dos, eles cli­carão no botão Voltar mais depres­sa do que con­segue diz­er “tem­po de per­manên­cia”.

    A sua mel­hor defe­sa con­tra isso é uma intro­dução convincente. 

    Boas apre­sen­tações devem faz­er três coisas:

    1. Conec­tar-se com o leitor
    2. Gan­har confiança
    3. Prom­e­ter uma solução para o prob­le­ma do utilizador

    Lem­bre-se, se os vis­i­tantes não com­preen­derem a sua intro­dução, eles nun­ca lêem o seu con­teú­do. E se eles nun­ca lerem o seu con­teú­do, eles não irão con­vert­er, par­til­har ou cri­ar uma lig­ação para ele.

    Apren­da como escr­ev­er uma intro­dução vence­do­ra aqui.

    3. Use títulos para criar hierarquia

    Títu­los como H1 e H2 aju­dam a cri­ar hier­ar­quia e a dividir o seu con­teú­do em seções lóg­i­cas. Isso tor­na o seu con­teú­do mais fácil de ler e digerir.

    Por exem­p­lo, a lista que está a ler ago­ra está divi­di­da em cin­co seções distintas.

    1. Lista de ver­i­fi­cação bási­ca de SEO
    2. Lista de ver­i­fi­cação de SEO técnico
    3. Lista de ver­i­fi­cação de pesquisa de palavras-chave
    4. Lista de ver­i­fi­cação de conteúdo
    5. Lista de ver­i­fi­cação de SEO na página
    6. Lista de ver­i­fi­cação de con­strução de ligações

    Sob cada um deles, temos sub­tí­tu­los para cada item da lista de verificação.

    Pense em como seria muito mais difí­cil ler esta pági­na sem subtítulos.

    Leitu­ra recomen­da­da: O Que é uma Eti­que­ta H1? Mel­hores Práti­cas de SEO para 2021

    4. Divida as coisas com imagens

    Ninguém quer ler um grande blo­co de tex­to. É opres­sor e pode levar as pes­soas a pas­sar à frente.

    As ima­gens aju­dam a resolver isso, que­bran­do o tex­to e aju­dan­do na com­preen­são visual.

    Mas não intro­duza ima­gens ape­nas por causa dis­so. Faça um esforço para encon­trar ou cri­ar ima­gens que mel­horem a exper­iên­cia do leitor.

    Por exem­p­lo, cos­tu­mamos usar grá­fi­cos, tabelas e cap­turas de ecrã para aju­dar a ilus­trar os nos­sos pontos.

    5. Utilize frases curtas e parágrafos

    50% da pop­u­lação dos EUA lêem abaixo do nív­el de leitu­ra da esco­la primária.

    Então, a menos que queira alien­ar metade da pop­u­lação, não com­plique as coisas. Fique pelas fras­es e pará­grafos curtos.

    Você tam­bém deve:

    • Usar palavras e fras­es simples
    • Evi­tar escri­ta incompreensível
    • Escr­ev­er com voz ativa

    Hem­ing­way é uma fer­ra­men­ta gra­tui­ta basea­da no nave­g­ador que pode aju­dar nis­to. Este infor­ma o nív­el de clas­si­fi­cação atu­al do seu tex­to e sug­ere melhorias.

    6. Adicionar um índice

    Um índice fornece lig­ações de avanço para difer­entes secções da página.

    São usa­dos na maio­r­ia das nos­sas publicações:

    Emb­o­ra pos­sa adi­cionar um índice analíti­co a qual­quer pági­na, estes são mais ade­qua­dos para con­teú­dos exten­sos que, de out­ra for­ma, seri­am difí­ceis de nave­g­ar. Como a maio­r­ia das nos­sas pub­li­cações têm mais de 2.000 palavras, eles fazem muito sen­ti­do para os nos­sos visitantes.

    Um índice tam­bém pode ajudá-lo a gan­har sitelinks nas SERPs.

    Leitu­ra recomen­da­da: O Que São Sitelinks? Como Influenciá-los

    SEO na pági­na é o proces­so de otimiza­ção do con­teú­do real da sua pági­na. Inclui otimiza­ções feitas para con­teú­do visív­el e con­teú­do no código-fonte.

    Vamos ver como faz­er isso.

    1. Use um URL curto e descritivo

    URLs cur­tos e des­critivos aju­dam os uti­lizadores a enten­der do que se tra­ta a pági­na nas SERPs.

    Por exem­p­lo, estas duas pági­nas são sobre como perder peso…

    https://www.medicalnewstoday.com/articles/322345

    https://www.dietdoctor.com/how-to-lose-weight

    … Mas não saberia dis­so pelo primeiro URL.

    Na maio­r­ia das vezes, a for­ma mais sim­ples de cri­ar URLs cur­tos e des­critivos é definir a sua palavra-chave primária como o slug de URL. Faze­mos isto com a maio­r­ia das pub­li­cações do nos­so blog.

    ahrefs.com/blog/seo-na-pag­i­na/

    ahrefs.com/blog/con­strução-de-lig­a­coes/

    ahrefs.com/blog/fer­ra­men­tas-gra­tu­itas-de-seo/

    Man­ter URLs cur­tos é útil porque URLs lon­gos ten­dem a ser omi­ti­dos nas SERPs.

    Leitu­ra recomen­da­da:Como Cri­ar URLs Com­patíveis com SEO (Pas­so a Passo)

    2. Escreva uma etiqueta de título atraente

    Assim como os URLs, as eti­que­tas de títu­lo apare­cem nos resul­ta­dos de pesquisa do Google e aju­dam os uti­lizadores a enten­der do que tra­ta a página.

    O con­sel­ho comum para eti­que­tas de títu­lo é incluir a sua palavra-chave alvo.

    Emb­o­ra seja uma boa práti­ca, não se pre­ocupe se não fiz­er sen­ti­do. É muito mais impor­tante escr­ev­er algo atraente que faça as pes­soas quer­erem clicar.

    Na maio­r­ia das vezes, a sua pub­li­cação ou títu­lo de pági­na fun­cionará bem. 

    Leitu­ra recomen­da­da: Como Cri­ar a Eti­que­ta de Títu­lo Per­fei­ta para SEO

    3. Escreva uma meta descrição atraente

    O Google mostra meta descrições nos SERPs aprox­i­mada­mente ⅓ do tempo.

    Aqui estão as mel­hores dicas para cri­ar uma meta descrição atraente:

    • Expan­da o título
    • Duplique a intenção de pesquisa
    • Use uma voz ativa
    • Mantenha‑o abaixo dos 120 caracteres
    • Inclua sua palavra-chave primária (onde fiz­er sentido)

    Leitu­ra recomen­da­da: Como Escr­ev­er a Meta Descrição Perfeita

    4. Ligação para recursos relevantes

    A lig­ação para out­ros recur­sos inter­nos aju­da os vis­i­tantes a nave­g­ar no seu website.

    Mas e os recur­sos externos?

    Aqui está o que John Mueller do Google diz:

    Lig­ar a out­ros web­sites é uma óti­ma for­ma de dar val­or aos uti­lizadores. Muitas vezes, as lig­ações aju­dam os uti­lizadores a desco­brir mais, ver­i­ficar as suas fontes e enten­der mel­hor como o seu con­teú­do é rel­e­vante para as dúvi­das que eles têm.

    John Mueller
    John Mueller, Search Advo­cate Google

    Isso sig­nifi­ca que deve forçar lig­ações inter­nas e exter­nas no seu conteúdo?

    Não. Bas­ta adi­cionar lig­ações se e quan­do fiz­er sentido.

    Leitu­ra recomen­da­da: Lig­ações inter­nas para SEO: Um Guia Prático

    5. Otimize as suas imagens

    Se estiv­er a seguir a lista de ver­i­fi­cação por ordem, já deve ter insta­l­a­do um plu­g­in de com­pressão de imagem. Mas há algu­mas out­ras otimiza­ções de imagem que deve faz­er pági­na a página:

    1. Nomeie as ima­gens de for­ma des­criti­va. Não use nomes de ficheiro de imagem genéri­cos como IMG_875939.png ou Screenshot-2021–06-01. Use nomes de ficheiro des­critivos como black-puppy.png ou eiffel-tower.jpg.
    2. Adi­cione um tex­to alter­na­ti­vo des­criti­vo. O tex­to alter­na­ti­vo sub­sti­tui uma imagem na pági­na quan­do há fal­ha no car­rega­men­to. Tam­bém é útil para quem usa leitores de ecrã. Sai­ba mais aqui.

    Leitu­ra recomen­da­da: SEO para Ima­gens: 12 Dicas Úteis para Tráfego mais Orgânico

    6. Adicionar marcação de schema para trechos ricos

    A mar­cação de schema aju­da os motores de pesquisa a enten­der mel­hor o seu con­teú­do. Mas tam­bém pode afe­tar dras­ti­ca­mente a for­ma como sua pági­na é exibi­da nas SERPs.

    Esta é uma pági­na com mar­cação de schema que atual­mente se posi­ciona para “recei­ta de mas­sa de pizza:”

    Aqui está como ficaria sem mar­cação de schema:

    Vê a diferença? 

    A mar­cação de schema pode aumen­tar as taxas de cliques e traz­er mais tráfego para o seu website.

    Tam­bém não é tão téc­ni­co de imple­men­tar. Use o assis­tente de mar­cação do Google ou este ger­ador de mar­cação Schema para faz­er isto com facilidade.

    Leitu­ra recomen­da­da: Tre­chos Ricos: O Que São e Como os Conseguir?

    7. Adicionar ligações internas

    Lig­ações inter­nas aju­dam o Google a enten­der do que tra­ta a sua pági­na. Estes tam­bém aju­dam os mecan­is­mos de pesquisa e os uti­lizadores a nave­g­ar no seu website.

    Já falá­mos da importân­cia de lig­ar a recur­sos inter­nos e exter­nos rel­e­vantes no seu con­teú­do. Mas tam­bém vale a pena adi­cionar lig­ações inter­nas de out­ras pági­nas rel­e­vantes sem­pre que pub­licar um novo conteúdo.

    Veja como encon­trar opor­tu­nidades de lig­ações inter­nas relevantes:

    1. Crie uma con­ta gra­tui­ta nas Fer­ra­men­tas para Web­mas­ters da Ahrefs
    2. Ras­treie o seu web­site com a Audi­to­ria de Websites
    3. Vá ao relatório de Opor­tu­nidades de ligações
    4. Adi­cione o fil­tro de “Pági­na de des­ti­no” e defina‑o para a sua nova página

    Adi­cione lig­ações inter­nas a essas pági­nas sem­pre que fiz­er sentido.

    A con­strução de lig­ações é uma tare­fa cru­cial de SEO, espe­cial­mente se dese­jar posi­cionar-se para algo remo­ta­mente com­pet­i­ti­vo. Nes­ta seção, abor­dare­mos algu­mas táti­cas de con­strução de lig­ações tes­tadas e verificadas.

    Nota adi­cional.
    Algu­mas destas táti­cas con­cen­tram-se na con­strução de back­links para o seu web­site como um todo, enquan­to out­ras con­cen­tram-se na con­strução de back­links para pági­nas individuais. 

    1. Replique as ligações dos seus concorrentes

    Se uma pági­na men­ciona e con­tém lig­ações para vários con­cor­rentes, mas não para si, pode ser uma lig­ação que vale a pena replicar. 

    Veja como encon­trar ess­es websites:

    1. Vá ao Explo­rador de Conteúdo
    2. Pesquise (“con­cor­rente 1” E “con­cor­rente 2”) — “a sua marca”
    3. Clique em pesquisar
    4. Sele­cione “Uma pági­na por domínio”

    Isso pesquis­ará na nos­sa base de dados de mais de sete mil mil­hões de pági­nas aque­les que men­cionam os seus con­cor­rentes, mas não a si.

    Então, é ape­nas o caso de procu­rar opor­tu­nidades onde pos­sa con­seguir uma ligação.

    Por exem­p­lo, se estivesse a faz­er isso para o Con­vertK­it, esta lista de 79 fer­ra­men­tas de mar­ket­ing provavel­mente seria uma boa oportunidade:

    2. Recuperar ligações perdidos

    Back­links não duram para sempre. 

    Por exem­p­lo, se ver­i­fi­car­mos o relatório Links Per­di­dos no Explo­rador de Web­sites da Ahrefs para o Blog da Ahrefs, vemos cen­te­nas de lig­ações per­di­das nos últi­mos 7 dias.

    Isso acon­tece por todo o tipo de razões. Às vezes, eles vão emb­o­ra para sem­pre. Out­ras vezes, é pos­sív­el recuperá-los.

    Leitu­ra recomen­da­da: Recu­per­ação de Lig­ações: Como Encon­trar Facil­mente (e Recu­per­ar) Back­links Perdidos

    3. Procurar menções não ligadas

    Às vezes, as pes­soas men­cionam a sua mar­ca sem cri­ar uma lig­ação para si. Estas menções são con­heci­das como menções não lig­adas.

    Aqui está um exem­p­lo de uma:

    Pode ver que, emb­o­ra men­cionem Ahrefs, não têm uma lig­ação de vol­ta para nós.

    Ago­ra, não seria óti­mo se pudesse con­vert­er menções não lig­adas para sua mar­ca em menções ligadas?

    Seria, e pode. Bas­ta entrar em con­ta­to com os autores e solic­i­tar que eles “tornem o tex­to clicáv­el”. Como eles já estão famil­iar­iza­dos com a sua mar­ca, há uma grande prob­a­bil­i­dade de que farão essa mudança de bom grado.

    No entan­to, a questão per­manece: como encon­trar menções de mar­cas desli­gadas em primeiro lugar?

    Tudo é expli­ca­do no guia abaixo.

    Leitu­ra recomen­da­da: Um Guia Sim­ples para Trans­for­mar Menções de Mar­ca (Não Lig­adas) em Ligações

    4. Publicar artigos de convidados

    O blog de con­vi­da­do é onde escreve e pub­li­ca um arti­go num out­ro web­site do seu setor.

    Por exem­p­lo, aqui está uma pub­li­cação do con­vi­da­do Ryan Stew­art no Blog da Ahrefs:

    A maio­r­ia das pes­soas per­mite que autores con­vi­da­dos ten­ham lig­ações para os seus web­sites a par­tir da biografia dos seus autores.

    Há muitas maneiras de encon­trar opor­tu­nidades para blog de con­vi­da­dos, mas um méto­do sim­ples é pesquis­ar web­sites que já escrever­am sobre tópi­cos rel­e­vantes. Porquê? Porque ess­es web­sites provavel­mente estarão inter­es­sa­dos ​​em pub­li­cações de con­vi­da­dos sobre um tópi­co semelhante.

    Veja como encon­trar ess­es sites:

    1. Vá para o Explo­rador de Con­teú­do da Ahrefs
    2. Insira um tópi­co rel­e­vante (por exem­p­lo, “pesquisa de palavras-chave”)
    3. Escol­ha “No títu­lo” no menu suspenso
    4. Clique em “Pesquis­ar”
    5. Vá ao sep­a­rador “Web­sites”

    Aqui deve ver os 100 prin­ci­pais web­sites com o tráfego mais orgâni­co de pági­nas sobre os seus tópicos.

    Exam­ine a lista e ace­da a todos os web­sites relevantes.

    Leitu­ra recomen­da­da: Blog de Con­vi­da­do para SEO: Como Con­stru­ir Lig­ações de Alta Qual­i­dade em Escala

    5. Promova páginas de recursos

    As pági­nas de recur­sos são pági­nas que sele­cionam e lig­am recur­sos sobre um tópico.

    Pode encon­trar pági­nas de recur­sos rel­e­vantes uti­lizan­do oper­adores de pesquisa do Google como:

    • [top­ic] intitle:recursos inurl:recursos.html
    • [top­ic] intitle:ligações inurl: recursos.html
    • [top­ic] inurl:.com/recursos
    • [top­ic] inurl:recursos intitle:recursos

    Por exem­p­lo, aqui está uma pági­na de recur­sos que lista recur­sos de mar­ket­ing digital:

    Faria sen­ti­do lançar um recur­so de SEO para essa lista.

    6. Encontre pessoas com ligações para conteúdo inferior

    Se se esforçou para cri­ar o mel­hor con­teú­do sobre um tópi­co, deve haver inúmeras pub­li­cações que não são tão boas quan­to as suas.

    Pes­soas com lig­ações para essas pub­li­cações são os poten­ci­ais clientes perfeitos.

    Por exem­p­lo, aqui está uma pub­li­cação sobre palavras-chave de cau­da lon­ga com uma definição impre­cisa (não tem nada a ver com comprimento):

    Se inserir­mos o URL da pub­li­cação no Explo­rador de Web­sites, ver­e­mos que esta con­tém lig­ações de mais de 1.000 websites.

    Assim, poderíamos facil­mente entrar em con­ta­to com essas pes­soas, explicar o prob­le­ma e sug­erir que elas inclu­am uma lig­ação para a nos­sa pub­li­cação sobre palavras-chave de cau­da lon­ga com uma definição precisa.

    Como encon­trar pub­li­cações semel­hantes com muitos backlinks?

    Siga estes passos:

    1. Vá ao Explo­rador de Conteúdo
    2. Pesquise o seu tópi­co (por exem­p­lo, palavras-chave de cau­da longa)
    3. Escol­ha “No títu­lo” no menu suspenso
    4. Fil­tre por pági­nas com muitos domínios de refer­ên­cia (lig­ações de websites)

    Então, é ape­nas uma questão de encon­trar um moti­vo con­vin­cente para alguém cri­ar uma lig­ação para a sua pági­na em vez da out­ra página.

    7. Conte a mais pessoas sobre o seu conteúdo

    As pes­soas não podem cri­ar lig­ações para con­teú­do se não sou­berem que ele existe. É por isso que deve faz­er um esforço con­sciente para con­tar às pes­soas cer­tas sobre o seu conteúdo.

    Mas quem são as pes­soas “cer­tas”?

    Estas têm dois atributos:

    1. Estão inter­es­sa­dos ​​no seu conteúdo
    2. Têm o poder de se lig­ar a si

    Apren­da como encon­trar as pes­soas cer­tas para entrar em con­ta­to aqui e como con­tatá-las uti­lizan­do este con­sel­ho de divul­gação.

    Pensamentos finais

    SEO é um proces­so con­tín­uo e seria impos­sív­el incluir tudo o que é impor­tante numa lista de ver­i­fi­cação. Dito isso, se resolver os itens da lista de ver­i­fi­cação aci­ma, estará no cam­in­ho para obter posi­ciona­men­tos mais altos. Provavel­mente tam­bém estará bem à frente de sua con­cor­rên­cia. Isto é o que importa.

    Se dese­ja apren­der mais sobre a exe­cução des­ta lista de ver­i­fi­cação, con­fi­ra o nos­so cur­so de SEO gratuito.

    Quer ain­da mais ideias de SEO? Con­fi­ra a nos­sa lista de dicas de SEO.

    • Websites com ligações 2
    Dados de Explorador de Conteúdo