SEO para Start-ups: 8 Passos para Crescer Com Um Orçamento Limitado

Mateusz Makosiewicz
Investigador de marketing e educador da Ahrefs. Mateusz tem mais de 10 anos de experiência em marketing adquirida em agências, SaaS e empresas de hardware. Quando não está a escrever, ele compõe música ou faz longas caminhadas.
    As Star­tups estão sem­pre à caça de táti­cas de cresci­men­to escaláveis que podem ser exe­cu­tadas com pouco ou nen­hum din­heiro. Search engine opti­miza­tion, ou sim­ples­mente SEO, é uma delas.

    SEO não requer um ele­va­do orça­men­to e, se feito cor­re­ta­mente, traz tráfego gra­tu­ito que cresce quase em pilo­to automáti­co. Além dis­so, pode impul­sion­ar out­ras táti­cas de mar­ket­ing e influ­en­ciar cada fase do funil de mar­ket­ing. Por­tan­to, se quer começar a faz­er SEO para a sua start­up, está no local certo. 

    Neste arti­go, vamos cobrir o seguinte:

    Se ain­da tem dúvi­das sobre se SEO é ade­qua­do para si ou se neces­si­ta de dados para sus­ten­tar o seu plano de SEO, aqui estão três razões para aplicar SEO numa startup.

    Razão 1. Por causa da tendência macro

    Em 2014, a Google e a Mill­ward Brown Dig­i­tal con­duzi­ram um estu­do acer­ca dos hábitos de pesquisa e com­pra entre tomadores de decisão B2B. Esse estu­do rev­el­ou que 71% dos pesquisadores B2B começam a sua pesquisa de uma for­ma genéri­ca (em vez de uma pesquisa de marca).

    Tal como diz a própria Google diz, “Eles estão primeira­mente à procu­ra de pro­du­tos, não de si”.

    Razão 2. Porque as pessoas estão pesquisando sobre o que você faz

    Mes­mo que o seu pro­du­to seja real­mente de nicho, há pes­soas que provavel­mente con­tin­u­am a pesquis­ar por isso de uma for­ma ou de outra.

    Por exem­p­lo, pense em algo como lac­ticínios de origem não-ani­mal (cat­e­go­ria de pro­du­to real). Enquan­to poderão haver peque­nas pesquisas para “lac­ticínios de origem não-ani­mal” (pois é um con­ceito novo), há um vol­ume tangív­el de pesquisas rela­cionadas, tal como “veg­an”, “sem lac­tose” ou “baixa lactose”. 

    Razão 3. Porque pode ter tráfego gratuito e escalá-lo

    De momen­to, temos cer­ta de 1.1M vis­i­tas men­sais ape­nas de motores de pesquisa. Se tivêsse­mos que com­prar esse tráfego usan­do anún­cios PPC, iria cus­tar uma esti­ma­ti­va de $2M por mês:

    Por­tan­to enquan­to SEO nun­ca é inteira­mente gra­tu­ito, pois tem que inve­stir na cri­ação de con­teú­do e otimiza­ção, não neces­si­ta de pagar por cada usuário e por cada visi­ta — ao con­trário dos anúncios.

    Siga estes oito pas­sos para começar a faz­er SEO na sua start­up de for­ma adequada. 

    Passo 1. Obtenha buy-in

    Quem pre­cisa de con­vencer a começar a faz­er SEO na sua start­up? O CMO, CFO, CEO, investi­dores, a sua equipa de mar­ket­ing, ou talvez você mes­mo? A quem quer que seja, tudo se resume a mel­ho­rar a lin­ha de crédi­to, certo?

    Em primeiro lugar, SEO é um inves­ti­men­to que não se paga a ele mes­mo do dia para a noite. Leva tem­po a faz­er pesquisa de palavras-chave, cri­ar con­teú­do e pro­movê-lo. Leva ain­da tem­po para que o Google ou out­ro motor de pesquisa ras­treie e clas­si­fique o seu conteúdo.

    Mas SEO pode valer a pena como pou­cas out­ras coisas, e a Ahrefs é uma pro­va viva dis­so. Somos uma empre­sa de ARR de oito dígi­tos com uma estraté­gia de mar­ket­ing basea­da em con­teú­do de SEO.

    Se a pes­soa que pre­cisa de con­vencer está inter­es­sa­da em mar­ket­ing, uma exce­lente for­ma de obter buy-ins é começan­do pelos bene­fí­cios de SEO.

    Pode explicar os bene­fí­cios do SEO ilus­tran­do as táti­cas de mar­ket­ing que ele ali­men­ta, prin­ci­pal­mente o mar­ket­ing de con­teú­do. O mar­ket­ing de con­teú­do serve muitos propósi­tos diferentes:

    • Cria con­sciên­cia e atrai poten­ci­ais clientes
    • Aju­da a inter­a­gir com o seu públi­co e a con­stru­ir credibilidade
    • Aju­da a con­vert­er clientes
    • Ajuda‑o a con­stru­ir leal­dade e retenção

    O mar­ket­ing de con­teú­do tam­bém tem resul­ta­dos com­pos­tos, como já mencionei.

    Por out­ras palavras, se você usar SEO para cri­ar con­teú­do, a atribuição de SEO irá tocar todas as fas­es do funil de mar­ket­ing.

    Mas se pre­cis­ar de con­vencer alguém que só se impor­ta com o impacto na recei­ta da empre­sa — é OK tam­bém. Ape­nas pre­cisa de falar a lin­guagem dessa pes­soa, por exem­p­lo, usar um grá­fi­co que visu­al­iza o pon­to de break-even do seu investimento:

    Apren­da mais: How to Con­vince Your Boss to Invest in SEO

    Passo 2. Estabeleça objetivos e consiga recursos

    No caso de já ter uma luz verde para SEO, é hora de seguir para o pas­so seguinte: esta­b­ele­cer os seus obje­tivos e preparar recur­sos para essa jornada. 

    Como estabelecer objetivos de SEO

    O maior obje­ti­vo de SEO é chegar a poten­ci­ais usuários através de pesquisa orgâni­ca e con­vertê-los em clientes. Mas este é um obje­ti­vo de topo, e é algo com­pli­ca­do de lidar pois não lhe diz como alcançá-lo. 

    Uma abor­dagem muito mais efi­ciente é dividir o seu maior obje­ti­vo de topo em pequenos “pedaços” que o podem levar mais per­to do resultado. 

    Pode imag­i­nar os seus obje­tivos de SEO como uma pirâmide, com o resul­ta­do no topo e obje­tivos mais pequenos nos níveis mais abaixo. A ideia é começar pelo fun­do e tra­bal­har para ir subindo. 

    Por exem­p­lo, dig­amos que o seu obje­ti­vo é clas­si­ficar-se no top três de uma palavra-chave em seis meses. A pirâmide-obje­ti­vo para este resul­ta­do pode­ria assemel­har-se a algo como isto:

    Como você pode ver, dis­se­camos algo que não pode ser feito numa úni­ca ação (clas­si­fi­cação mais alta para uma palavra-chave) em tare­fas menores e fazíveis que têm uma grande chance de influ­en­ciar o resultado.

    Igual­mente impor­tante a esta­b­ele­cer pas­sos menores e fazíveis é definir como os medir. No exem­p­lo aci­ma, esta­mos a usar o Site Explor­er da Ahrefs para medir quan­tos back­links temos. 

    Apren­da mais: How to Set the Right SEO Goals with 3 Exam­ples

    Recursos de que irá necessitar

    Recur­sos sig­nifi­cam cus­tos, e as star­tups neces­si­tam de ser cuida­dosas em relação a eles. Enquan­to que SEO não requer orça­men­to de anún­cios ou fer­ra­men­tas muito caras, não é um proces­so sem custos. 

    SEO neces­si­ta das seguintes coisas para funcionar:

    1. Pesquisa
    2. Con­teú­do otimizado
    3. Back­links
    4. Fer­ra­men­tas de análise

    Se você é uma equipa de um e sem orça­men­to para con­stru­ir uma equipa de presta­dores de serviços, não há out­ra for­ma a não ser apren­der todas essas coisas e faz­er o tra­bal­ho você mes­mo, adi­cional­mente a tudo o resto que já está fazen­do. Mas sem stress. Com o acon­sel­hamen­to cor­re­to, pri­or­iza­ção, e fer­ra­men­tas, é fazível. 

    Se a sua start­up tiv­er algum orça­men­to para uma função rela­ciona­da com SEO, aqui estão as suas opções:

    • Con­trate alguém com as capaci­dades aci­ma — Eles são ou super estre­las ou pes­soas que já exe­cu­taram várias oper­ações de mar­ket­ing, pos­sivel­mente noutra start­up. Super-estre­las irão estar provavel­mente fora do seu orça­men­to, mas os out­ros serão rel­a­ti­va­mente pos­síveis de encon­trar. Afi­nal de con­tas, mar­ket­ing de con­teú­do e SEO estão prox­i­ma­mente relacionadas. 
    • Con­trate alguém com exper­iên­cia em escri­ta e inter­esse em SEO — Então dê-lhes tem­po de apren­der SEO no tra­bal­ho. Há óti­mos mate­ri­ais de apren­diza­gem online, como a nos­sa com­ple­ta­mente gra­tui­ta Ahrefs Acad­e­my ou este mes­mo blog.
    • Con­trate alguém com algum suces­so em SEO e dê-lhes a capaci­dade de apoio de ter­ceiros — Um profis­sion­al de SEO expe­ri­ente dev­erá ser capaz de cri­ar a estraté­gia de con­teú­do. Mes­mo assim, poderá pre­cis­ar da capaci­dade de apoio de ter­ceiros para partes do proces­so (como cri­ação de con­teú­dos ou con­strução de links) para se mover rapidamente. 

    Próx­i­ma par­agem: ferramentas.

    Feliz­mente para as star­tups, há bas­tantes fer­ra­men­tas gra­tu­itas e freemi­um no reino SEO. Nós agrupá­mos uma lista das 45 mel­hores neste arti­go.

    Com fer­ra­men­tas de SEO numa start­up, terá basi­ca­mente duas opções: 

    1. Avance com fer­ra­men­tas gra­tu­itas (o máx­i­mo que con­seguir) — Pode faz­er mui­ta coisas com fer­ra­men­tas de SEO gra­tu­itas, como lhe irei mostrar neste guia. A ressal­va aqui é que você terá que usar fer­ra­men­tas difer­entes com flux­os de tra­bal­ho difer­entes, e os dados sem­pre serão limitados.
    2. Experiemente difer­entes fer­ra­men­tas pre­mi­um de SEO — Assim que o fiz­er, atu­al­ize para a que lhe for mais con­ve­niente. Se as incluir des­de cedo no proces­so de imple­men­tação de SEO, irá ter dados pre­mi­um e fer­ra­men­tas que o irão aju­dar (a si e à sua equipa) a tra­bal­har de for­ma mais efi­ciente des­de o princípio. 

    Passo 3. Coloque o seu SEO técnico em ordem

    O SEO téc­ni­co é o proces­so de otimizar o seu web­site para aju­dar motores de pesquisa como o Google a encon­trar, desco­brir, enten­der e cat­e­go­rizar as suas pági­nas. A menos que o Google con­si­ga faz­er todas as coisas men­cionadas, as hipóte­ses de clas­si­fi­cação são de peque­nas a nenhumas. 

    A respos­ta ami­ga de prin­cipi­antes para SEO téc­ni­co é a seguinte: com­pôr prob­le­mas que fer­ra­men­tas como a Ahrefs Web­mas­ter Tools (AWT) irá traz­er à sua atenção.

    Uma das muitas funções da AWT é mon­i­tor­izar a saúde do seu web­site em mais de 100 prob­le­mas de SEO, incluin­do os téc­ni­cos. Se o Google ou out­ro motor de pesquisa tiv­er um poten­cial prob­le­ma em encon­trar e cat­e­go­rizar o seu web­site, a AWT irá nor­mal­mente dizer-lhe.

    Por exem­p­lo, poderá desco­brir que há pági­nas com o tag noin­dex que inca­paci­tam motores de pesquisa de as cat­e­go­rizar. Quan­do cli­ca nesse prob­le­ma no seu relatório, terá uma expli­cação do que sig­nifi­ca e como o reparar:

    Para com­ple­men­tar a AWT, temos uma secção inteira na nos­sa base de con­hec­i­men­to ded­i­ca­da a com­preen­der prob­le­mas de SEO e a resolvê-los.

    Out­ra coisa inter­es­sante da AWT é que mes­mo que você se esqueça de ver­i­ficar a saúde do seu web­site reg­u­lar­mente, irá rece­ber emails reg­u­lar­mente (como este aqui abaixo) que apre­sen­ta o esta­do dos erros:

    Apren­da mais: Tech­ni­cal SEO: The Begin­ner’s Guide

    Passo 4. Faça pesquisa de palavras-chave

    É na pesquisa de palavras-chave que você con­hece aqui­lo que os seus clientes-alvo estão a pesquis­ar no Google, para depois anal­is­ar e com­parar ess­es ter­mos para pri­orizar as mel­hores oportunidades. 

    Pode apren­der como fazê-lo através do nos­so guia de pesquisa de palavras-chave para prin­cipi­antes. Mas já que a maior parte das star­tups têm pou­ca ou nen­hu­ma “autori­dade” ou val­or de mar­ca, recomen­damos que ini­cial­mente aponte para palavras-chave de baixa com­pet­i­tivi­dade onde pos­sa clas­si­ficar-se sem muitos back­links ou grande autori­dade de website. 

    Assim, por exem­p­lo, as star­tups de seguros para ani­mais de esti­mação provavel­mente terão difi­cul­dade em clas­si­ficar uma palavra-chave como “seguro para ani­mais de esti­mação” porque a SERP nº 1 (pági­na de resul­ta­dos do motor de pesquisa) é dom­i­na­da por pági­nas com muitos backlinks.

    A nos­sa pon­tu­ação de Difi­cul­dade de Palavras-chave (Key­word Dif­fi­cul­ty) sug­ere que irá neces­si­tar de back­links de cer­ca de 932 web­sites para se clas­si­ficar no top 10:

    Mas den­tro desse tópi­co vas­to, pode encon­trar palavras-chave de baixa com­pet­i­tivi­dade como “seguro para ani­mal de esti­mação bull­dog francês”. 

    Poderá encon­trar palavras-chave de baixa com­pet­i­tivi­dade em escala usan­do uma fer­ra­men­ta de pesquisa de palavras-chave tal como a Key­words Explor­er da Ahrefs. Ape­nas insira lá um tópi­co, vá ao relatório de Match­ing terms, e defi­na o seu KD para um máx­i­mo de 20. 

    Como resul­ta­do, para uma palavra-chave “semente” como “seguro para ani­mais de esti­mação”, terá 426 poten­ci­ais ideias de palavras-chave de baixa com­pet­i­tivi­dade para as quais poderá cri­ar conteúdo. 

    Repare que essas são as suas poten­ci­ais ideias de palavras-chave porque pre­cisa de con­sid­er­ar mais alguns fatores antes de final­mente sele­cionar uma palavra-chave — como por exem­p­lo, intenção de pesquisa, val­or da mar­ca dos con­cor­rentes e poten­cial de tráfego. Expli­camos como pode avaliar ess­es fatores no nos­so guia para encon­trar palavras-chave de baixa com­pet­i­tivi­dade e neste vídeo.

    Para além dis­to, poderá tam­bém tirar inspi­ração a par­tir das palavras-chave de baixa com­pet­i­tivi­dade dos seus concorrentes.

    Aqui está como as encon­trar a par­tir do Site Explor­er da Ahrefs:

    1. Insira um domínio de um concorrente
    2. Clique em “procu­rar”
    3. Vá para o relatório Organ­ic Key­words 2.0
    4. Adi­cione um fil­tro KD para um máx­i­mo de 20

    Por exem­p­lo, se você admin­is­tra uma start­up de soft­ware de design e com­pe­tir com a Invi­sion, pode ver todas as palavras-chave de baixa com­pet­i­tivi­dade onde ela se classifica:

    Então é ape­nas um caso de peneirar alvos que valem a pena. Nesse caso, pode ser uma “pale­ta de cores ver­mel­ha”, pois pos­sui uma pon­tu­ação de KD baixa e um vol­ume de pesquisa razoavel­mente alto. Além dis­so, você pode cri­ar facil­mente o tipo de con­teú­do que os pesquisadores pare­cem estar à procu­ra (lista de inspi­ração da pale­ta de cores vermelhas):

    Passo 5. Crie conteúdo

    Ago­ra que tem uma ideia de quais são as palavras-chave na mira, pre­cisa de cri­ar con­teú­do de alta qual­i­dade e otimiza­do que atra­ia tráfego orgâni­co. Há algu­mas peças para este quebra-cabeças. 

    A. Certifique-se de que compreende o público

    Saber o que as pes­soas pesquisam online é poderoso. No entan­to, depen­der inteira­mente de métri­c­as de SEO pode fazê-lo perder o foco das pes­soas que leem o seu con­teú­do. É por isso que você pre­cisa de expandir a sua pesquisa e amar­rar as suas descober­tas de SERP para a sua pesquisa de mer­ca­do.

    O úni­co ele­men­to da sua estraté­gia “go-to-mar­ket­ing” que tem importân­cia críti­ca na seleção dos tópi­cos para o seu con­teú­do é o seu públi­co-alvo. Por­tan­to, cer­ti­fique-se de que tem a sua per­sona de com­prador pronta antes de cri­ar a sua primeira peça de con­teú­do SEO. 

    Uma per­sona de com­prador é uma pes­soa semi-fic­cional que rep­re­sen­ta as caraterís­ti­cas comuns dos seus clientes (como um arquétipo). Aqui está um exem­p­lo para o nos­so produto:

    B. Desenhe o seu conteúdo com a intenção de pesquisa em mente

    A intenção de pesquisa ref­ere-se àqui­lo a que os pesquisadores estão à procu­ra. É impor­tante porque o Google quer clas­si­ficar con­teú­do que é útil, por­tan­to provavel­mente não se irá clas­si­ficar a não ser que o seu con­teú­do se alin­he com a intenção do usuário. 

    Para perce­ber a intenção por detrás de uma palavra-chave, deve anal­is­ar os resul­ta­dos de pesquisa para aqui­lo a que chamamos os três Cs da intenção de pesquisa:

    1. Tipo de con­teú­do - Há algum tipo de con­teú­do dom­i­nante em SERP, como blogs, pági­nas de pro­du­to, vídeos ou land­ing pages?
    2. For­ma­to de con­teú­do — Há algum for­ma­to de con­teú­do dom­i­nante em SERP, como guias, arti­gos de listagem, arti­gos de notí­cias, peças de opinião ou reviews?
    3. Ângu­lo do con­teú­do — Há algum ângu­lo dom­i­nante em SERP, como con­teú­do novo atu­al­iza­do our con­teú­do des­ti­na­dos a principiantes?

    Vamos anal­is­ar rap­i­da­mente um exem­p­lo. Aqui está o que podemos ver depois de conec­tar “fer­ra­men­tas de SEO” para os EUA no Key­words Explor­er da Ahrefs:

    Con­segue iden­ti­ficar os três Cs aqui?

    • Tipo de con­teú­do: Quase todos são pub­li­cações de blog.
    • For­ma­to do con­teú­do: Quase todos são lista­gens.
    • Ângu­lo do con­teú­do: Quase todos são lis­tas de fer­ra­men­tas gra­tu­itas.

    Se não uti­liza o Key­words Explor­er, pode uti­lizar o nos­so SEO Tool­bar gra­tu­ito para ver o SERP para prati­ca­mente qual­quer país:

    C. Planeie, publique, reaproveite

    Você tem provavel­mente dezenas de ideias de con­teú­do nes­ta fase. Por­tan­to, como vai gerir e cri­ar todo esse conteúdo?

    Uma práti­ca comum de cri­adores de con­teú­do profis­sion­ais é man­ter um cal­endário de con­teú­do. É um sis­tema uti­liza­do para orga­ni­zar, gerir e agen­dar a pro­dução de conteúdo. 

    Não há uma out­ra for­ma de cri­ar um cal­endário de con­teú­do. Em primeiro lugar, um cal­endário de con­teú­do deve ser usa­do por si e pela sua orga­ni­za­ção. Você pode usar um cal­endário do Google, cri­ar um kan­ban em um aplica­ti­vo como Notion ou Trel­lo, cri­ar um pro­je­to como o Asana ou man­ter tudo em uma boa e vel­ha planilha.

    Alguns tipos de infor­mação que vale a pena incluir num cal­endário de conteúdo:

    • Tópi­co
    • Autor
    • Respon­sáv­el
    • Esta­do
    • Data esper­a­da
    • Metada­dos rel­e­vantes (poten­cial de negó­cios, está­gio do funil, per­sona-alvo etc.)
    • For­ma­to
    • Canal
    • Link para o tra­bal­ho em progresso

    Na Ahrefs, usamos o Notion para man­ter tudo num só local (o cal­endário, anex­os, comen­tários, etc). Aqui está um cartão de cal­endário de con­teú­do para um dos arti­gos que fizemos:

    No que toca ao ato de escr­ev­er, gravar e cri­ar con­teú­do, isto é de cer­ta for­ma algo pes­soal. Afi­nal, as pes­soas têm esti­los difer­entes de tra­bal­har e per­manecer cria­ti­vas. Espe­cial­mente em uma peque­na start­up, as tare­fas ten­dem a ter um grau razoáv­el de autono­mia, por isso a maio­r­ia das coisas será ape­nas “você decide”.

    No entan­to, quan­do se tra­ta de cri­ar con­teú­do para negó­cios, é bom desen­volver algum tipo de metodolo­gia e obter feed­back antes de pub­licar. Um bónus dis­so é que o desen­volvi­men­to de práti­cas efi­cientes des­de o iní­cio o aju­dará a escalar seu proces­so de cri­ação de con­teú­do mais tarde. Aqui estão algu­mas dicas:

    1. Comece sem­pre com um esboço — Planeie o que irá diz­er. Isto irá ajudá-lo a evi­tar escr­ev­er sobre assun­tos irrel­e­vantes ou a escr­ev­er pouco/demasiado.
    2. Pro­cure algu­mas dicas sobre como escrever/gravar/editar – Isso pode ajudá-lo de difer­entes for­mas: a ser mais pro­du­ti­vo, a escr­ev­er de uma for­ma que chame mais a atenção ou o algo mais que ache que pode pre­cis­ar. Exis­tem méto­dos tes­ta­dos e com­pro­va­dos, como o méto­do da pirâmide inver­ti­da (colo­car o “necessário saber” antes do “bom em saber”).
    3. Crie pro­ced­i­men­tos opera­cionais padrão (SOPs) ao lon­go do proces­so – SOPs são doc­u­men­tos que expli­cam como realizar tare­fas especí­fi­cas, por exem­p­lo, nomear ima­gens. Obvi­a­mente, os SOPs não são tão impor­tantes para uma equipa de um ele­men­to. Mas cada pes­soa adi­cional adi­ciona­da ao proces­so de cri­ação de con­teú­do colo­ca mais peso na neces­si­dade de cri­ar SOPs.
    4. Rece­ba feed­back Porque é sem­pre bom ter uma segun­da opinião. 

    Se se ques­tiona sobre como o proces­so de cri­ação de con­teú­do se parece na Ahrefs, aqui está um grá­fi­co que o explica:

    Para tornar as coisas ain­da mais efi­cientes, pode, por isso, redi­re­cionar algum desse con­teú­do para vários canais, de for­ma a obter ain­da mais alcance através de cada peça, max­i­mizan­do os seus esforços ini­ci­ais. Esta estratégia/tática fun­ciona muito bem quer para star­tups, quer para grandes empre­sas (e aqui na Ahrefs faze­mos isso a toda a hora).

    Por exem­p­lo, temos um video e um tweet sobre palavras-chave de cau­da lon­ga — ambos reaproveita­dos do blog original.

    Passo 6. Otimize conteúdo já existente

    Por vezes a mel­hor for­ma de con­seguir mais tráfego orgâni­co é otimizar o seu con­teú­do exis­tente. Há duas razões para isso:

    1. O seu con­teú­do exis­tente pode já estar classificado.
    2. O seu con­teú­do exis­tente pode ser a mel­hor for­ma de cor­re­spon­der à intenção de pesquisa. 

    Por exem­p­lo, o Google tem um mod­e­lo bem claro de o que clas­si­ficar para a palavra-chave “impres­so­ras 3D: guias de com­pra”. Ele até clas­si­fi­ca os guias mais altos do que as pági­nas de fab­ri­cantes de impres­so­ras 3D esta­b­ele­ci­dos — ape­sar de terem mais backlinks:

    Parece que a maio­r­ia das pes­soas que pesquisam por esse ter­mo está na ideia de com­prar. Assim, o Google ten­ta com­bi­nar isso com pági­nas que ofer­e­cem aju­da na com­pra de uma impres­so­ra 3D.

    O inter­es­sante é que um fab­ri­cante de impres­so­ras 3D está no topo dos guias: Form­labs. Ele encon­trou uma maneira de otimizar seu con­teú­do exis­tente para chegar o mais longe pos­sív­el na SERP.

    Criou uma mis­tu­ra de um guia de impres­so­ra 3D e uma pági­na de cat­e­go­ria de produto.

    Con­segue iden­ti­ficar o que ele fez aqui?

    1. Inti­t­u­lou a pági­na de “Guia de impressão 3D: tipos de impres­so­ras 3D, mate­ri­ais e aplicativos”.

    2. Forneceu algu­mas definições bási­cas, expli­cou o proces­so de impressão 3D, mostrou alguns tipos de impres­so­ras 3D, deu algu­mas dicas sobre como escol­her uma, etc. Isso é prati­ca­mente tudo o que você procu­ra num guia.

    3. Mas, ao mes­mo tem­po, as úni­cas impres­so­ras 3D que você vê são os pro­du­tos Form­labs. Além dis­so, eles são a primeira coisa que você vê antes de faz­er scroll para baixo até a secção do guia.

    4. Do pon­to de vista da nave­g­ação, esta é a pági­na prin­ci­pal da cat­e­go­ria de pro­du­tos do Form­labs. Por esse moti­vo, qual­quer pes­soa que se vin­cule à var­iedade de impres­so­ras 3D Form­labs terá que se vin­cu­lar a esta pági­na, provavel­mente com algu­ma vari­ação do tex­to ânco­ra “impres­so­ra 3D”.

    5. Além dis­so, esta pági­na fun­ciona como um hub de con­teú­do, espal­han­do “link juice” para out­ras partes do site da Formlabs.

    E qual é o efeito de tudo aqui­lo numa per­speti­va de SEO?

    • A pági­na é otimiza­da para uma palavra-chave de ele­va­do “poten­cial de negó­cio”: “impres­so­ras 3D”.
    • Uma vez que a palavra-chave tem um Tópi­co Par­ente com maior vol­ume de pesquisa e a mes­ma intenção de pesquisa “impres­so­ra 3D”, tam­bém se clas­si­fi­ca para essa palavra-chave.
    • A pági­na con­segue uma sig­ni­fica­ti­va qual­i­dade de tráfego orgâni­co a par­tir da palavra “impres­so­ras 3D” e ain­da mais para o Tópi­co Par­ente “impres­so­ra 3D”, como pode ver no screen­shot abaixo:

    Um out­ro exem­p­lo: O Can­va clas­si­fi­ca-se em #4 nos EUA para a palavra-chave “ger­ador de memes” com esta land­ing page. Como pode ver, não há nen­hu­ma razão para o Can­va cri­ar, dig­amos, um arti­go de blog para se clas­si­ficar nes­sa palavra-chave. 

    Pode apren­der mais sobre otimizar con­teú­do exis­tente na ter­ceira parte do nos­so guia ini­ciante para SEO on page.

    Passo 7. Construir links

    Com o seu con­teú­do SEP com­ple­to, é hora de mover a agul­ha para o fator de clas­si­fi­cação mais impor­tante: links.

    Link internamente

    Vamos começar com algo fácil: cri­ar links entre difer­entes pági­nas no mes­mo website. 

    Aqui está o que acon­tece quan­do cria links internamente:

    1. Aju­da novas pági­nas a serem descober­tas por motores de pesquisa — Isto porque prov­i­den­cia um cam­in­ho de descober­ta para a nova página. 
    2. Pas­sa autori­dade de links entre as suas pági­nas — Des­ta for­ma, mel­ho­ra as pági­nas de per­for­mance insuficiente. 
    3. Aju­da motores de pesquisa a enten­der sobre o que se tra­ta a pági­na — Isto é impor­tante pois você neces­si­ta que o Google enten­da o sig­nifi­ca­do do seu con­teú­do se quer se que clas­si­fique para palavras-chave relevantes.

    Para encon­trar opor­tu­nidades rel­e­vantes de links inter­nos, veja o relatório de opor­tu­nidades de Link na in Ahrefs Web­mas­ter Tools. Mostra palavras-chave não linkadas que podem ser usadas como links para out­ra página. 

    Por exem­p­lo, a par­tir de uma pub­li­cação de blog sobre ras­treadores de clas­si­fi­cação, o AWT sug­ere que poderíamos vin­cu­lar a palavra-chave “pesquisa de palavras-chave” a uma lista de “fer­ra­men­tas de pesquisa de palavras-chave”.

    Exis­tem mais algu­mas boas práti­cas de links inter­nos. Reuni­mos os mais impor­tantes em Links Inter­nos para SEO: Um Guia Acionáv­el.

    Espie os links dos seus concorrentes

    A menos que você este­ja em algum tipo de mer­ca­do “inau­di­to” do oceano azul, há alguém que já des­bravou as tril­has antes de você. Por out­ras palavras, out­ra empre­sa já fez sua pesquisa de palavras-chave, criou con­teú­do e con­stru­iu links para seu site.

    Por ago­ra, seus con­cor­rentes podem estar alguns pas­sos à sua frente, mas a boa notí­cia é que você pode con­tin­uar de onde eles pararam e roubar um pouco do seu tro­vão. Soa interessante?

    Esta estraté­gia de con­strução de links é toda sobre anal­is­ar os links dos seus con­cor­rentes para apren­der duas coisas:

    1. Links que você pode replicar – Alguns dos links dos seus con­cor­rentes podem vir de fontes que provavel­mente dev­e­ri­am ter links para si tam­bém, como lis­tas dos mel­hores aplica­tivos, avali­ações, etc. Você pode apre­sen­tar-se para para essas fontes para obter destaque e links.

    2.Padrões nos tipos de back­links Você pode estu­dar quais os tipos de links que aju­daram seus con­cor­rentes a se clas­si­fi­carem e ver quais estraté­gias e táti­cas provavel­mente fun­cionarão para si. Por exem­p­lo, pode desco­brir se um con­cor­rente criou vários back­links crian­do um estu­do exclu­si­vo que out­ros sites citam e para o qual cri­am links.

    Obtenha avaliações

    Con­seguir uma avali­ação do seu pro­du­to online tem bene­fí­cios óbvios: recon­hec­i­men­to da mar­ca e do pro­du­to, tráfego de entra­da e, muitas vezes, feed­back valioso sobre o pro­du­to. Mas há out­ro “herói silen­cioso” nes­sa história: backlinks.

    Dig­amos que você seja uma start­up de tec­nolo­gia que fab­ri­ca scoot­ers elétri­cos. Aqui estão duas ideias sobre como procu­rar sites de avaliação:

    Insira o URL do seu con­cor­rente no Site Explor­er da Ahrefs, vá ao relatório de Back­links, e fil­tre os resul­ta­dos que ref­er­en­ci­am URLs que con­têm palavras como “avali­ação”, “guia” ou “mel­hor”. Isto irá mostrar-lhe os web­sites que avaliaram o seu con­cor­rente. A par­tir daqui, pode nave­g­ar através dos resul­ta­dos e apre­sen­tar o seu pro­du­to a web­sites que se desta­cam para si. 

    Um con­sel­ho aqui: não per­gunte por uma avali­ação só para ter um back­link. Aci­ma de tudo, pense em como a avali­ação pode influ­en­ciar as ven­das do seu pro­du­to, e faça‑o só se o seu pro­du­to estiv­er pron­to. Os back­links são ape­nas um bónus neste jogo. 

    PR Digital

    Ter o ser negó­cio men­ciona­do na impren­sa é já óti­mo em si. Mas adi­cional­mente, pode aumen­tar as suas clas­si­fi­cações através de links incluí­dos na história. 

    As star­tups fre­quente­mente pos­suem aque­le fator de novi­dade, o que as faz grandes grandes can­di­datas a cober­tu­ra de impren­sa. Aqui está uma história de exem­p­lo no The Next Web sobre uma start­up chama­da Sprig que cria uma fer­ra­men­ta impul­sion­a­da por IA nun­ca antes vista (nat­u­ral­mente, inclui um link para a empresa). 

    Alguns dos links que você obterá dessa maneira serão “nofol­low” e provavel­mente não pas­sarão “autori­dade de link”, mas isso não deve dis­sua­di-lo. Mes­mo que um link não aumente dire­ta­mente os rank­ings, é prováv­el que uma história pos­sa levar a menções em out­ros sites; além de lhe dar recon­hec­i­men­to adi­cional, eles podem aumen­tar seus rankings.

    Aqui estão algu­mas dicas sobre como con­seguir que a sua história seja cober­ta pela impren­sa (e con­seguir um link):

    • Respon­da a pedi­dos de jor­nal­is­tas em sites como HARO, Respons­eSource, ProfNet, ou Source­Bot­tle. Pode tam­bém procu­rar no Twit­ter por hastags como #journore­quest. Des­ta for­ma, pode ser men­ciona­do e pedir para que inclua um link na sua biografia.
    • Escre­va e envie comu­ni­ca­dos de impren­sa para meios de comu­ni­cação respeitáveis e rel­e­vantes. Não exagere, senão será igno­ra­do na próx­i­ma vez que lançar algo. Além dis­so, con­cen­tre-se em fac­tos inter­es­santes. Pode provavel­mente obter cober­tu­ra com mais fre­quên­cia em revis­tas do setor, então pode ten­tar lançar para ess­es tipos de sites em mais ocasiões.
    • Tente incluir algo que “val­ha a pena linkar” na sua abor­dagem, como dados úni­cos. Não se esqueça de uti­lizar imagem de alta resolução. 

    Passo 8. Rastreie e meça

    Final­mente, como é que mede o suces­so em SEO? Em que métri­c­as se deve focar?

    Tudo isso está rela­ciona­do com os obje­tivos que irá definir, e que expliquei na eta­pa dois deste guia.

    Depen­den­do dos seus obje­tivos, as métri­c­as de SEO que irá provavel­mente ras­trear mais fre­quente­mente são:

    1. Tráfego orgâni­co — O número de vis­i­tas que tem a par­tir das SERPs. Pode medir isto usan­do soft­wares de análise de web­sites como o Google Ana­lyt­ics, Mato­mo, Google Search Con­sole, e Ahrefs
    2. Palavras-chave orgâni­cas — as palavras-chave às quais as suas pági­nas web se clas­si­fi­cam. Algu­mas fer­ra­men­tas de análise de web­sites (ex. Google Ana­lyt­ics) irá escon­der algu­mas das palavras-chave den­tro da cat­e­go­ria “not pro­vid­ed”, enquan­to que out­ras (como a Google Search Con­sole) irão mostrar um número lim­i­ta­do. Uma fer­ra­men­ta como a AWT irá resolver isso para si.
    3. Clas­si­fi­cação de palavras-chave — Onde se clas­si­fi­ca para palavras-chave ras­treadas nas SERPs ao lon­go do tem­po. Para uma solução bási­ca e sem cus­tos, vá até à nos­sa fer­ra­men­ta de free key­word rank checker.
    4. Back­links Links para o seu site a par­tir de out­ros web­sites. Como já men­cionei, os back­links são um dos mais impor­tantes fatores de clas­si­fi­cação. Para ras­trear até 100 back­links para qual­quer web­site, a fer­ra­men­ta de free back­link check­er da Ahrefs fará esse truque. 

    Pode facil­mente encon­trar fer­ra­men­tas gra­tu­itas para ras­trear todas as suas métri­c­as mais impor­tantes. As suas ver­sões pagas geral­mente per­mitem que você rev­ele mais dados, use fil­tros avança­dos e obten­ha mais infor­mações (como tendên­cias e históri­co de dados).

    Ideias finais

    Não pre­cisa de um grande orça­men­to para começar a aumen­tar seu tráfego orgâni­co com SEO. Pode ir muito longe com fer­ra­men­tas gra­tu­itas, e as fer­ra­men­tas pagas que você pre­cis­ará a par­tir desse pon­to não vão arru­inar a con­ta bancária. Se tiv­er fun­dos para uma fer­ra­men­ta de SEO pre­mi­um, con­sidere um con­jun­to de fer­ra­men­tas com­ple­to como a Ahrefs, que tem tudo o que você pre­cisa em um só lugar.

    Como em muitas coisas na vida, o começo é sem­pre o mais difí­cil. Pode levar algum tem­po até colo­car o seu SEO em fun­ciona­men­to. Mas depois de o faz­er, pode usar as mes­mas táti­cas repeti­da­mente para obter resul­ta­dos con­sis­tentes que ten­ham efeitos compostos. 

    Tudo o que abor­damos nesse guia pode ser muito para digerir. Por­tan­to se pre­cis­ar de um lem­brete sobre todas as coisas impor­tante, pode ati­var a nos­sa check­list de SEO.

    Tem questões? Envie-me uma men­sagem no Twit­ter.