SEO em WordPress: 20 Dicas e Melhores Práticas

Avatar
Head of Content @ Ahrefs (or, in plain English, I'm the guy responsible for ensuring that every blog post we publish is EPIC).
    A maio­r­ia das pes­soas escol­he o Word­Press como o CMS do seu web­site porque é fácil de usar e amigáv­el para efeitos de SEO.

    Ambas as afir­mações aci­ma são ver­dadeiras, mas é impor­tante lem­brar que o Word­Press é ape­nas um sis­tema de gestão de con­teú­do (CMS). Por­tan­to, o fato de estar a usar o Word­Press não é por si só sufi­ciente para clas­si­ficar sat­isfa­to­ri­a­mente nos mecan­is­mos de pesquisa.

    Feliz­mente, o Word­Press faz com que seja rel­a­ti­vam­sim­ple­sente fácil imple­men­tar a maio­r­ia das mel­hores práti­cas de SEO.

    Neste guia, ire­mos abor­dar 20 mel­hores práti­cas de SEO, par­til­har dicas para o aju­dar a clas­si­ficar mais alto e explicar como, por sua vez, pode imple­men­tar tudo isto no seu web­site através da fer­ra­men­ta WordPress. 

    p>Aqui uma lista das práti­cas que com­põe esta lista: 

    1. Ver­i­fique as definições de vis­i­bil­i­dade do motor de pesquisa
    2. Sele­cione um domínio preferido
    3. Ative links per­ma­nentes (perma­links)
    4. Req­ui­site aprovação man­u­al para comen­tários no blog
    5. Instale um tema que seja ami­go de SEO
    6. Instale um plu­g­in de SEO que cumpra todas as tarefas
    7. Garan­ta que tem um mapa do web­site ativo
    8. Excluir con­teú­do de baixo val­or da indexação 
    9. Instale o plu­g­in de SEO da Ahrefs
    10. Escre­va um títu­lo que motive o usuário a car­regar para ver mais
    11. Defi­na um slug de URL amigáv­el para SEO
    12. Use cabeçal­hos para cri­ar hierarquia
    13. Faça links inter­nos para con­teú­do relevante
    14. Adi­cione tex­to alter­na­ti­vo em imagens
    15. Escre­va uma tag de títu­lo atraente
    16. Escre­va uma meta descrição convincente
    17. Orga­ni­zar pági­nas em subpastas
    18. Instale o WP Rocket
    19. Reduzir os espaços vazios no código
    20. Instale o ShortPixel

    Existe uma caixa de seleção no Word­Press que, se for mar­ca­da, é efe­ti­va­mente uma sen­tença de morte de SEO para o seu web­site, pois impede o Google de indexar as suas pági­nas. E se o Google não pode indexar as suas pági­nas, elas não podem clas­si­ficar as mesmas.

    Encon­trará esta caixa de seleção que falo em Con­fig­u­rações > Leitu­ra > Vis­i­bil­i­dade do mecan­is­mo de pesquisa:

    Garan­ta que tem esta caixa de seleção não sele­ciona­da, caso queira ter algu­ma hipótese de clas­si­ficar nos mecan­is­mos de pesquisa, de uma for­ma ou de outra. 

    O Google anal­isa domínio.com e www.domínio.com sep­a­rada­mente, por isso é impor­tante escol­her uma ver­são pref­er­en­cial para o seu web­site. Pode faz­er isso em Con­fig­u­rações> Ger­al. Para tal, bas­ta definir o endereço do Word­Press (URL) e o endereço do web­site (URL) de acor­do com a sua ver­são preferida.

    Para qual­quer novo web­site, não inter­es­sa qual ver­são que queira escol­her, porém se as suas pági­nas estiverem acessíveis em ambas as ver­sões URL, a mel­hor hipótese será usar a ver­são com mais backlinks.

    Para saber qual é a ver­são mais ade­qua­da, conecte os URLs à fer­ra­men­ta de Análise de Lotes (Batch Analy­sis) da Ahrefs e ver­i­fique todos os seus domínios de referência.

    Para nós, é clara­mente a ver­são sem o “www”:

    A beleza do Word­Press é que redi­re­ciona auto­mati­ca­mente a out­ra ver­são para a ver­são que pre­tendeu escol­her, de for­ma que os motores de pesquisa e respetivos vis­i­tantes pos­sam somente aced­er ao seu web­site através do domínio preferencial. 

    ALERTA

    Alter­ar a ver­são preferi­da pode causar prob­le­mas téc­ni­cos se o seu web­site já estiv­er no ati­vo há algum tem­po. Se tiv­er algu­ma dúvi­da, vale a pena procu­rar aju­da jun­to de um desen­volve­dor para garan­tir que tudo corre bem e sem dores de cabeça adicionais.

    Links per­ma­nentes, con­heci­do como perma­links, são basi­ca­mente o for­ma­to de URL para as suas pub­li­cações e pági­nas, sendo que a opção “nome do post” tem tendên­cia a ser a mais amigáv­el para SEO, porque apoia o seguinte:

    1. Deixar óbvio de ime­di­a­to sobre o que é a página.
    2. Man­ter os URLs cur­tos, o que pode impedir que eles apareçam incom­ple­tos nos resul­ta­dos da pesquisa.

    No entan­to, se já estiv­er a uti­lizar uma estru­tu­ra de perma­link difer­ente, alterá-la pode levar a pági­nas que­bradas. Então, se fiz­er uma alter­ação, irá dese­jar nat­u­ral­mente ras­trear o seu web­site com uma fer­ra­men­ta como o Site Audit da Ahrefs, após ver­i­ficar se exis­tem erros do tipo 4XX:

    Se hou­ver algum, você dev­erá quer­er usar um plu­g­in do Word­Press, como o Redi­rec­tion, para redi­re­cionar os URLs anti­gos para os novos.

    É improváv­el que comen­tários em blogs com spam causem pre­juí­zos ou quais­quer prob­le­mas drás­ti­cos de SEO, uma vez que eles são quase sem­pre “nofol­lowed”. Con­tu­do, de acor­do com o Google, eles podem ain­da assim causar alguns prob­le­mas de SEO por alguns motivos.

    Feliz­mente, o Word­Press tor­na muito fácil resolver este prob­le­ma de uma vez por todas, ofer­e­cen­do a todos os usuários a opção de definirem os comen­tários do blog de for­ma a exi­gir aprovação manual.

    Você pode faz­er isso em Con­fig­u­rações > Dis­cussão > O comen­tário deve ser aprova­do man­ual­mente:

    Prati­ca­mente todos os temas do Word­Press são respon­sivos e com­patíveis com dis­pos­i­tivos móveis hoje em dia e, por esse moti­vo, não há muito com o que se pos­sa pre­ocu­par. O que real­mente pre­cisa, a meu ver, é de ver­i­ficar na hora de escol­her um tema qual o seu desem­pen­ho no geral. 

    Se o tema estiv­er reple­to de códi­go e de recur­sos desnecessários, isso tornará o seu web­site mais lento. E isso não é bom, já que a veloci­dade da pági­na é um impor­tante fator de clas­si­fi­cação do Google há mais de uma déca­da.

    Por isso, na hora de escol­her um tema, vale a pena ler a descrição para ver o que está incluí­do nesse tema. Se exi­s­tirem vários recur­sos de que não irá pre­cis­ar, talvez não seja a mel­hor escol­ha para as suas necessidades. 

    Por out­ro lado, tam­bém pode exe­cu­tar a demon­stração do tema através do Page­Speed Insights para ter uma mel­hor noção do seu desempenho.

    Caso já ten­ha um tema e o seu desem­pen­ho não é óti­mo, recomen­do que dê uma opor­tu­nidade às dicas #18–20 e con­trate um desen­volve­dor para otimizá-lo, se mes­mo assim, com todos os ajustes, ain­da estiv­er lento.

    Max­i­mize a fun­cional­i­dade de SEO den­tro do Word­Press e facilite a otimiza­ção de aspetos do seu web­site com um plu­g­in de SEO o mais com­ple­to pos­sív­el. Na Ahrefs, nós usamos o Yoast SEO, mas exis­tem muitas out­ras alter­na­ti­vas no mercado.

    Para instalá-lo, vá para Plu­g­ins > Adi­cionar Novo > Pro­cure por “Yoast SEO” > Clique em Ati­var > Clique em Insta­lar:

    A maio­r­ia das con­fig­u­rações estará pronta para serem usadas, mas acabare­mos por ajus­tar algu­mas delas à medi­da que avançamos com o desen­volvi­men­to do website.

    Os Mapas dos Web­sites lis­tam as pub­li­cações e as pági­nas impor­tantes no seu web­site para aju­dar os mecan­is­mos de pesquisa a desco­bri-las. O Yoast SEO, por exem­p­lo, cria um mapa do web­site para você, mas pre­cisa de ter certeza de que a opção está efe­ti­va­mente ativada.

    Para faz­er isso, vá para SEO > Ger­al > Recur­sos > Ative “Sitemaps XML” em:

    Você só deve per­mi­tir que o Google indexe pági­nas que acres­cen­tem val­or a quem pesquisa. Pági­nas de tags e arquiv­os rara­mente se enquadram nes­sa cat­e­go­ria, por­tan­to, geral­mente é recomen­da­do excluí-los da indexação.

    Para faz­er isso, vá para SEO > Aparên­cia da pesquisa > Tax­ono­mias > Alterne “Mostrar tags nos resul­ta­dos da pesquisa?” desli­ga­do:

    Faça o mes­mo para arquiv­os pre­vi­a­mente for­mata­dos também. 

    O nos­so plu­g­in para Word­Press gra­tu­ito faz uma audi­to­ria e mon­i­tor­iza o desem­pen­ho do con­teú­do e dá-lhe recomen­dações de como o melhorar. 

    Por exem­p­lo, se o plu­g­in dete­tar que uma das suas pági­nas não está mais clas­si­fi­ca­da entre as três primeiras para a sua palavra-chave de des­ti­no, ele mar­cará como “Não está com bom desem­pen­ho” e fornecerá uma recomen­dação per­son­al­iza­da sobre como mel­ho­rar com base nas suas definições:

    Aqui, a fer­ra­men­ta recomen­da que atu­al­ize­mos uma pub­li­cação que não este­ja clas­si­fi­ca­da de momen­to. Se acer­tar­mos o “acen­to cir­cun­flexo” da sug­estão, a fer­ra­men­ta fornece con­sel­hos sobre como faz­er isso:

    Recomen­dação

    As próx­i­mas oito dicas estão rela­cionadas com o con­teú­do. Lem­bre-se delas ao adi­cionar posts e pági­nas ao seu web­site WordPress.

    Qual­quer pági­na e pub­li­cação no Word­Press requer um títu­lo, que dev­erá inserir aqui: 

    Esse títu­lo geral­mente é exibido noutro lugar do seu web­site Word­Press. Por exem­p­lo, o títu­lo deste post aparece na nos­sa pági­na de arqui­vo prove­niente do blog:

    Por este moti­vo, é impor­tante que o títu­lo atra­ia os vis­i­tantes a clicar em direção à sua pági­na, enquan­to descreve com exatidão sobre o que esta tra­ta. Em out­ras palavras, o títu­lo deve ser dig­no de cliques, mas não demasi­a­do persuasivo.

    Se está em difi­cul­dades para escr­ev­er algo que se encaixe na per­feição, inspire-se nos títu­los dos resul­ta­dos dos mecan­is­mos de pesquisa (SERP) das pági­nas mais bem clas­si­fi­cadas para a sua palavra-chave de des­ti­no, uma vez que, geral­mente, são iguais ou semel­hantes ao títu­lo da pági­na. É um fac­to que pode faz­er isso através do Google, mas o mel­hor será usar o nos­so ver­i­fi­cador SERP gra­tu­ito para resul­ta­dos mais pre­cisos e não alta­mente personalizados:

    Por exem­p­lo, pode ver aci­ma que muitas das pági­nas clas­si­fi­cadas para “dicas de SEO” falam sobre aumen­tar o tráfego ou clas­si­fi­cações nos seus títu­los SERP. Por­tan­to, este é provavel­mente um óti­mo ângu­lo para um títu­lo dig­no de ser cli­ca­do para este tópico.

    Por defeito, o Word­Press define o URL para o títu­lo com­ple­to do post ou da pági­na no ger­al. Isso rara­mente é ide­al uma vez que o URL geral­mente se tor­na lon­go e URLs lon­gos ten­dem a ficar inter­rompi­dos nos resul­ta­dos da pesquisa.

    Para um URL mais amigáv­el para SEO, clique em “Edi­tar”, insira sua palavra-chave prin­ci­pal (ou uma vari­ação aprox­i­ma­da) e sub­sti­tua os espaços por traços.

    Os cabeçal­hos cri­am estrutura/organização e aju­dam os vis­i­tantes, inclu­sive os mecan­is­mos de pesquisa, a enten­der mel­hor a hier­ar­quia do seu conteúdo.

    No Word­Press, você pode usar o edi­tor WYSIWYG para adi­cionar cabeçal­hos rel­e­vantes de maneira ráp­i­da e fácil. Bas­ta clicar no menu sus­pen­so (em “Pará­grafo”) e verá seis opções de cabeçalho:

    Nota adi­cional.
    Se estiv­er a usar o edi­tor de blo­cos do Word­Press, as coisas pare­cerão um pouco difer­entes. Você pre­cis­ará clicar para adi­cionar um blo­co “Títu­lo”.

    Como a maio­r­ia dos temas do Word­Press usa o títu­lo do post como primeiro cabeçal­ho (H1), é recomen­da­do usar H2-H6 para o próprio conteúdo.

    Links inter­nos apon­tam para out­ras pági­nas e posts no seu web­site. Eles são impor­tantes para propósi­tos de SEO porque ajudam:

    1. Man­ter­vis­i­tantes no seu website.
    2. Aumen­tar a “autori­dade” do seu out­ro con­teú­do e clas­si­ficá-lo ain­da mais alto. 

    Você pode adi­cionar links inter­nos a posts e pági­nas no Word­Press, usan­do o edi­tor WYSIWYG, tal como men­ciona­do. Bas­ta destacar o tex­to que pre­tende usar como tex­to ânco­ra, clicar no botão “Inserir/editar link” e colar o URL de out­ra pági­na ou post no seu website.

    Nota adi­cional.
    Relem­bro que as coisas podem pare­cer um pouco difer­entes se estiv­er a usar o edi­tor de blo­cos, mas o proces­so é prati­ca­mente o mesmo. 

    Se não tiv­er a certeza se e onde adi­cionar links inter­nos, crie uma con­ta gra­tui­ta no Ahrefs Web­mas­ter Tools (AWT), pro­mo­va um ras­trea­men­to na fer­ra­men­ta Site Audit e ace­da ao relatório de opor­tu­nidades de link para ver sug­estões de links inter­nos relevantes:

    Por exem­p­lo, pode ver aci­ma que ele recomen­da que vin­cule­mos inter­na­mente a frase “táti­cas de cri­ação de links” no nos­so guia para links maus incluí­do na nos­sa lista de estraté­gias de cri­ação de links.

    Tex­to alter­na­ti­vo (Alt text) é impor­tante porque:

    1. Infor­ma o Google sobre o que são as ima­gens, o que pode ajudá-las a ter uma clas­si­fi­cação mais alta no Google Imagens.
    2. Mel­ho­ra a aces­si­bil­i­dade para vis­i­tantes com defi­ciên­cia visu­al usan­do leitores de tela.
    3. Sub­sti­tui a imagem inter­romp­i­da na pági­na, se a imagem tiv­er algu­ma dis­rupção ao carregar

    Para adi­cionar tex­to alter­na­ti­vo no Word­Press, preen­cha o cam­po “tex­to alter­na­ti­vo” ao faz­er upload de uma imagem:

    Nota adi­cional.
    Mais uma vez, as coisas podem pare­cer um pouco difer­entes no edi­tor de blo­cos, mas ain­da há um cam­po “tex­to alternativo”. 

    Lem­bre-se de man­ter o tex­to pequeno e con­ciso, enquan­to pode (e deve) ser des­criti­vo ao mes­mo tempo.

    Leitu­ra recomen­da­da: Tex­to Alter­na­ti­vo para SEO: Como Otimizar as suas Imagens

    O Google uti­liza, por nor­ma, o seu tag de títu­lo como uma pré-visu­al­iza­ção que aparece nos resul­ta­dos de pesquisa. 

    O Yoast define uma tag de títu­lo para o seu post ou títu­lo de pági­na por padrão. Isso geral­mente é pos­i­ti­vo, pois você já deve ter cri­a­do um títu­lo atraente à par­ti­da, con­tu­do, às vezes pode ser muito lon­go. Por isso, vale a pena colar o títu­lo com­ple­to man­ual­mente para garan­tir que não seja interrompido.

    Se ficar desta­ca­do a verde, está tudo pron­to. Se ficar desta­ca­do a ver­mel­ho, é muito lon­go e neces­si­ta de ser revisto.

    Geral­mente, pode resolver o prob­le­ma de uma tag de títu­lo lon­ga removen­do qual­quer infor­mação supér­flua. Maneiras fáceis de faz­er isso incluem:

    • Remover infor­mação entre parêntesis
    • Remover palavras desnecessárias.
    • Refaz­er e reescrever.

    As meta descrições não são um fator de clas­si­fi­cação dire­to do Google, mas o Google geral­mente usa-as para a pré-visu­al­iza­ção no resul­ta­do de pesquisa.

    Por essa razão, é impor­tante escr­ev­er uma meta descrição con­vin­cente que suporte o seu títu­lo e atra­ia ain­da mais as pes­soas a clicar no mesmo.

    Aqui estão algu­mas dicas de como o fazer:

    Leitu­ra recomen­da­da: Como Escr­ev­er uma Meta Descrição Perfeita

    Partin­do do princí­pio que define a estru­tu­ra de link per­ma­nente (perma­link) para o nome do post, a sua pági­na e os respetivos URLs do post ficarão assim:

    dominio.com/nome-do-post
    dominio.com/nome-da-pagina

    Mas em con­jun­to com as pági­nas, você pode criá-las por níveis difer­entes usan­do subpastas.

    Por exem­p­lo, dig­amos que tem uma agên­cia de mar­ket­ing dig­i­tal que ofer­ece três serviços difer­entes: SEO, PPC e mar­ket­ing para redes sociais.

    Aqui fica a mel­hor maneira de o estruturar: 

    1. Crie uma pági­na de des­ti­no de “Serviços” que enu­mere os serviços que fornece
    2. Crie pági­nas indi­vid­u­ais para cada serviço que oferece
    3. Crie link para cada pági­na do respeti­vo serviço na pági­na “Serviços”

    Aqui fica como a estru­tu­ra dos URLs se vai com­por, por defeito: 

    dominio.com/servicos/
    dominio.com/seo/
    dominio.com/ppc/
    dominio.com/marketing-redes-sociais/

    Isto parece ok, con­tu­do é mel­hor orga­ni­zar as pági­nas de serviço indi­vid­u­ais na sub­pas­ta “/serviços/” da seguinte maneira:

    dominio.com/ser­vi­cos/
    dominio.com/ser­vi­cos/seo/
    dominio.com/ser­vi­cos/ppc/
    dominio.com/ser­vi­cos/mar­ket­ing-redes-soci­ais/

    Isto é fácil de faz­er através do Word­Press; bas­ta usar o menu sus­pen­so “Par­ent” no edi­tor de pági­nas e escol­her a pági­na “Serviços”.

    Recomen­dação

    As próx­i­mas três táti­cas são sobre a veloci­dade da pági­na. Use-os para acel­er­ar o seu web­site e mel­ho­rar o seu desem­pen­ho. Tome nota que não abor­damos todas as otimiza­ções que pode faz­er aqui, pois a veloci­dade da pági­na é um tópi­co com­plexo. Por­tan­to, se quis­er apro­fun­dar nes­ta ver­tente, leia o nos­so guia com­ple­to para acel­er­ar o seu web­site Word­Press.

    O WP Rock­et descreve-se a si próprio como um plu­g­in de desem­pen­ho na web que aumen­ta a veloci­dade da pági­na. A beleza do plu­g­in é que ele exe­cu­ta várias otimiza­ções úteis, prontas para uso, incluin­do cache de nave­g­ador e do servidor.

    O que a cache faz muito resumidamente:

    1. Cache do nave­g­ador – Sal­va arquiv­os comuns nos dis­cos rígi­dos dos vis­i­tantes para que estes não pre­cisem de descar­regá-los nova­mente nas próx­i­mas visitas. 
    2. Cache do servi­dor – Sal­va ver­sões estáti­cas das suas pági­nas na web, no seu servi­dor, para que estas este­jam prontas, sem­pre prontas a usar assim que um vis­i­tante as solicite.

    Este não é um plu­g­in gra­tu­ito, ain­da assim, na min­ha opinião, vale a pena o preço de 49 dólares se tiv­er orça­men­to disponív­el para tal. Se estiv­er à procu­ra de um plu­g­in gra­tu­ito que faça algo semel­hante em ter­mos de armazena­men­to em cache, exper­i­mente um dos muitos out­ros plu­g­ins disponíveis no WordPress.

    A minifi­cação (ou redução) remove o espaço em bran­co desnecessário do seu códi­go para reduzir o taman­ho dos arquivos.

    É bas­tante sim­ples habil­i­tar a redução (minifi­cação) se estiv­er a usar o WP Rock­et. Bas­ta aced­er às con­fig­u­rações de otimiza­ção de arquiv­os e ver­i­ficar as opções para “Reduzir arquiv­os CSS” e “Reduzir arquiv­os JavaScript”.

    Se não usar o WP Rock­et, dê uma opor­tu­nidade ao Autop­ti­mize (é gratuito). 

    aler­ta

    Ati­var a redução de espaços vazios no códi­go (minifi­cação) pode levar à que­bra de fer­ra­men­tas no pro­du­to, em alguns casos. Por­tan­to, é sem­pre mel­hor tes­tar como esta ação poderá afe­tar o seu web­site, den­tro de um ambi­ente de teste, antes de o imple­men­tar ao vivo.

    O Short­Pix­el com­pacta e otimiza auto­mati­ca­mente as ima­gens que você car­rega no Word­Press. Esse fator tor­na os arquiv­os de imagem menos pesa­do, reduz a ten­são no seu servi­dor e faz com que as coisas sejam car­regadas mais rap­i­da­mente para uma mel­hor exper­iên­cia dos visitantes.

    Para ini­ciar, instale o plug-in, ative‑o e coloque a sua chave de API nas configurações.

    Tome nota de que o Short­Pix­el é um plu­g­in em mod­e­lo freemi­um (gra­tu­ito). Por­tan­to, se estiv­er a com­pactar mais de 100 ima­gens por mês, pre­cis­ará de com­prar alguns crédi­tos ou assi­nar um plano pago. Isso cus­ta ape­nas alguns dólares e jus­ti­fi­ca bem o din­heiro apli­ca­do, na min­ha opinião.

    Se tiv­er orça­men­to para um plano pago, tam­bém com­pen­sará escol­her a opção de otimizar em escala as ima­gens já car­regadas no WordPress.

    Considerações finais

    O Word­Press é ver­sátil, fácil de usar e fornece uma boa base para propósi­tos de SEO. Ain­da assim, o Word­Press só tem taman­ha rep­utação porque se tra­ta ape­nas de um CMS (Sis­tema de Geren­ci­a­men­to de Con­teú­do, em por­tuguês). Se encara com seriedade a clas­si­fi­cação do seu negó­cio no Google, exis­tem mais algu­mas coisas que pre­cisa de saber e fazer.

    Prepara­do para mel­hores clas­si­fi­cações? Leia o nos­so guia pas­so a pas­so para ter uma clas­si­fi­cação alta no Google.

    Con­tin­ua com dúvi­das acer­ca de SEO no Word­Press? Envie-me men­sagem no Twit­ter.