17 Dicas Práticas de Marketing de Conteúdo para 2022

Avatar
Marketing @ Ahrefs. Projeto de aprendizagem atual: Coreano. Eu também resumo livros no meu blog pessoal.
    Não con­segue faz­er o seu pro­gra­ma de mar­ket­ing de con­teú­do funcionar?

    Não se pre­ocupe. Aqui está uma lista de 17 dicas que vão mel­ho­rar o seu mar­ket­ing de con­teú­do e ajudá-lo a con­seguir mais vis­i­tantes, leads e vendas:

    1. Sai­ba para quem está a cri­ar conteúdo
    2. Foque em tópi­cos com poten­cial de tráfego de pesquisa
    3. Enfrente os tópi­cos com mel­hor prestação dos seus concorrentes
    4. Dê pri­or­i­dade a tópi­cos usan­do o ‘poten­cial de negócio’
    5. Com­bine os 3 Cs da intenção de pesquisa
    6. Crie um cal­endário de conteúdo
    7. Pro­mo­va o conteúdo
    8. Pro­duza ima­gens partilháveis
    9. Reposi­cione o conteúdo
    10. Adi­cionar ‘gatil­hos’ em links
    11. Atu­al­ize o conteúdo
    12. Faz­er divul­gação a blogs
    13. Seja opina­ti­vo
    14. Dê uma nova luz à indús­tria com out­ras perspetivas
    15. Não fique obceca­do com a con­tagem de palavras
    16. Geren­cie um port­fólio de conteúdo
    17. Crie ‘hubs’ de conteúdo

    Uma agên­cia de otimiza­ção de taxas de con­ver­são (CRO) escreve sobre o assun­to e atrai out­ros profis­sion­ais de CRO, con­tu­do ess­es mes­mos profis­sion­ais não pre­cisam de serviços de CRO. Assim, o blog da agên­cia não atrai leads que sejam van­ta­josos e, por sua vez, a agên­cia con­sta­ta e afir­ma que mar­ket­ing de con­teú­do não funciona.

    Porém, se essa agên­cia tivesse dado alguns pas­sos atrás, escrito e pen­sa­do quem esta­va ten­tan­do atin­gir, ficaria claro que tipo de con­teú­do ela pre­cisa­va de cri­ar; não seria sobre “táti­cas avançadas de CRO”, mas sim “como otimizar a sua pági­na ini­cial para obter mais leads”.

    É por isso que o primeiro pas­so para cri­ar qual­quer estraté­gia de con­teú­do é ter clareza sobre para quem está a cri­ar esse con­teú­do.

    Se já sabe quem seg­men­tar, cer­ti­fique-se de reg­istá-lo por escrito e com­par­til­há-lo com toda a sua equipa. Caso con­trário, use o mod­e­lo abaixo para desco­brir qual o seg­men­to ide­al para o seu negócio.

    Leitu­ra recomen­da­da: Como Cri­ar Per­sonas de Com­pradores Detal­hada­mente para o seu Negó­cio (Mod­e­lo Gratuito)

    Tráfego prove­niente de e‑mail ou redes soci­ais é um bom catal­isador, mas é algo de cur­ta duração. 

    No entan­to, se estiv­er a cri­ar con­teú­do em torno de tópi­cos que as pes­soas estão con­stan­te­mente a pesquis­ar no Google, haverá inter­esse con­tín­uo garan­ti­do. Enquan­to o seu arti­go for clas­si­fi­ca­do no Google, a ver­dade é que rece­berá tráfego de pesquisa con­sis­tente e de for­ma passiva.

    Aqui fica como encon­trar ess­es tópicos:

    1. Vá até ao Explo­rador de Palavras-chave da Ahrefs 
    2. Insira um tópi­co rel­e­vante para a sua indústria
    3. Vá até ao relatório ‘Match­ing Terms’
    4. Mude a visu­al­iza­ção para o sep­a­rador de Questões (Ques­tions)

    Aqui, você encon­trará mais de 300.000 poten­ci­ais tópi­cos que pode seg­men­tar. Exam­ine a lista e escol­ha aque­les que são rel­e­vantes para o seu website.

    Leitu­ra recomen­da­da: Pesquisa de Palavras-chave: Um Guia para Prin­cipi­antes pela Ahrefs

    Não seria incrív­el se soubesse quais dos arti­gos dos seus con­cor­rentes tiver­am mais tráfego para que pudesse, tam­bém, replicar o suces­so deles?

    Bem, ten­ho boas notí­cias. Você de fac­to pode.

    Como:

    1. Vá até ao Site Explor­er da Ahrefs
    2. Insira o domínio de um dos seus concorrentes
    3. Vá até ao relatório das Pági­nas de Topo (Top Pages)

    Dessa for­ma, poderá ver­i­ficar todas as pági­nas clas­si­fi­cadas por tráfego orgâni­co, além da palavra-chave que envia mais tráfego para cada uma das páginas.

    Por exem­p­lo, podemos ver que o arti­go de Beard­brand sobre esti­los de bar­ba recebe cer­ca de 105.000 vis­i­tas orgâni­cas men­salmente. A palavra-chave que gera mais tráfego é “esti­los de barba”.

    Se tivésse­mos uma loja de comér­cio eletróni­co con­cor­rente, poderíamos abor­dar esse tópi­co tam­bém e con­quis­tar esse tráfego. 

    O tráfego de pesquisa por si só é uma métri­ca de pura vaidade. Se isso não mel­ho­rar real­mente os seus negó­cios (ou seja, trazen­do mais leads ou mais recei­ta), obter mais tráfego de pesquisa é inútil.

    Na Ahrefs, pon­tu­amos tópi­cos usan­do o chama­do “poten­cial de negócios”.

    Com­bi­nar “poten­cial de negó­cios” com “poten­cial de tráfego de pesquisa” man­tém-nos foca­dos na cri­ação de con­teú­do que real­mente impul­sione o crescimento.

    É, por isso, que nos­so blog gira em torno de SEO e mar­ket­ing de con­teú­do e não em tópi­cos como “pesquisa rever­sa de imagens”.

    Emb­o­ra seja uma con­sul­ta de pesquisa bas­tante pop­u­lar (~ 1,5 mil­hão de pesquisas men­sais) e ten­ha o poten­cial de ger­ar toneladas de tráfego, não se rela­ciona em nada com o nos­so pro­du­to (por­tan­to, isso sig­nifi­ca poten­cial com­er­cial “0”).

    O obje­ti­vo do Google é fornecer aos seus usuários os resul­ta­dos de pesquisa mais rel­e­vantes para qual­quer con­sul­ta de pesquisa. Por­tan­to, para ter uma clas­si­fi­cação alta no Google, pre­cisa de mostrar que é o resul­ta­do de pesquisa mais rel­e­vante.

    Isso sig­nifi­ca cor­re­spon­der à intenção de pesquisa — o moti­vo por trás de uma con­sul­ta de pesquisa.

    No fun­do, podemos anal­is­ar as pági­nas de resul­ta­dos do mecan­is­mo de pesquisa (SERPs) do Google para desco­brir a intenção de pesquisa. Por­tan­to, faça isso ao mes­mo tem­po que pesquisa no Google pela sua palavra-chave de des­ti­no e, em segui­da, analise as pági­nas mais bem clas­si­fi­cadas para os três Cs de intenção de pesquisa. 

    A. Tipo de conteúdo

    Tipos de con­teú­do nor­mal­mente enquadram-se num destes 5: arti­go de blog, pro­du­to, cat­e­go­ria, land­ing page ou vídeo. Por exem­p­lo, se pesquis­ar “como apren­der hangul” (o alfa­beto core­ano), podemos ver que os poucos resul­ta­dos de topo são maior­i­tari­a­mente vídeos. 

    Se quis­er clas­si­ficar em direção a esta palavra-chave, o mais prováv­el é ter de cri­ar um vídeo. 

    B. Formato do conteúdo

    O for­ma­to do con­teú­do apli­ca-se prin­ci­pal­mente a arti­gos de blog, pois geral­mente estes são instruções, lis­tas, arti­gos de notí­cias, arti­gos de opinião ou resenhas.

    Por exem­p­lo, os resul­ta­dos mais bem clas­si­fi­ca­dos para “mel­hores exer­cí­cios em casa” são prin­ci­pal­mente lis­tas que enu­mer­am ess­es mes­mos exercícios:

    Enquan­to os prin­ci­pais resul­ta­dos para “como apren­der gramáti­ca core­ana” são prin­ci­pal­mente instruções e guias:

    Para ter a mel­hor chance de clas­si­fi­cação, siga o exemplo.

    C. Ângulo do conteúdo 

    O ângu­lo do con­teú­do ref­ere-se ao prin­ci­pal “destaque de orig­i­nal­i­dade” como fator de ven­da do con­teú­do, que o faz sobres­sair do restante. Por exem­p­lo, as pes­soas que pesquisam “como faz­er san­gria” querem que a recei­ta seja fácil.

    Leitu­ra recomen­da­da: O que é Intenção de Pesquisa? Um Guia Com­ple­ta para Principiantes

    Nós man­te­mos o reg­is­to de todos os nos­sos esforços em pub­licar con­teú­do, usan­do um calendário:

    Cada entrada/registo no cal­endário tam­bém con­tém infor­mação acer­ca de cada peça indi­vid­ual de con­teú­do, tal como: 

    • Tópi­co
    • Autor
    • Con­tribuidores
    • Esta­do de publicação
    • Data-lim­ite
    • Ima­gens
    • URL
    • Cat­e­go­ria

    E por aí fora. 

    Isso man­tém toda a equipa alin­ha­da em todo o proces­so de gestão de con­teú­do. O edi­tor e todos os colab­o­radores sabem em que fase estão, quan­do o pra­zo ter­mi­na e o que pre­cisa de ser feito em seguida.

    Esta é a razão pela qual con­seguimos pub­licar dois ou mais arti­gos no blog todas as sem­anas nos últi­mos anos.

    Mes­mo se você for um profis­sion­al de mar­ket­ing de con­teú­do por sua con­ta (soz­in­ho), um cal­endário de con­teú­do man­tém-no foca­do sobre todo o proces­so. Não é sufi­ciente escr­ev­er ape­nas quan­do a inspi­ração chega, por isso com­pro­meta-se com um crono­gra­ma e publique de for­ma organizada.

    Leitu­ra recomen­da­da: Como Cri­ar um Cal­endário de Con­teú­do que Fun­ciona para Você

    Se não colo­car o seu con­teú­do na frente de pes­soas que o querem con­sumir, o seu con­teú­do recém-pub­li­ca­do ficará prati­ca­mente invisível.

    Na Ahrefs, pro­move­mos cada con­teú­do que pub­li­camos. No mín­i­mo, nós:

    • Envi­amos arti­gos no blog para os nos­sos sub­scritores via e‑mail.
    • Par­til­hamos em todas as nos­sas redes soci­ais (nomeada­mente, Face­book, Twit­ter, LinkedIn). 
    • Envi­amos uma men­sagem às pes­soas que men­cionamos no con­teú­do para as avisar.
    • Cri­amos anún­cios (no Face­book, Twit­ter, Quo­ra, etc.).

    Terá que faz­er pelo menos isso para divul­gar o seu con­teú­do – ou caso seja novo web­site, ain­da mais impor­tante. Recomen­damos seguir esta lista de ver­i­fi­cação de pro­moção de conteúdo:

    https://www.youtube.com/watch?v=PoVYweKH4ck

    Somos grandes fãs de cri­ar ima­gens per­son­al­izadas para o nos­so con­teú­do. Essas ima­gens aju­dam a sim­pli­ficar con­ceitos com­plex­os e a mel­ho­rar a leg­i­bil­i­dade do nos­so conteúdo.

    Uma das nos­sas ima­gens personalizadas.

    Além dis­so, eles cri­am con­teú­do incrív­el para com­par­til­har nas redes soci­ais. Mes­mo falan­do de um nicho “cha­to” como o SEO, ima­gens como essa podem tornar-se virais.

    As nos­sas ima­gens são cri­adas pelos nos­sos ilustradores inter­nos, mas não há neces­si­dade de sat­u­rar recur­sos para pro­duzi-las. Ima­gens per­son­al­izadas não pre­cisam de ser dig­nas de museu para serem partilhadas. 

    Afi­nal, o pop­u­lar blog Wait­But­Why usa ape­nas bonecos e desen­hos ani­ma­dos feitos à mão. Fer­ra­men­tas como o Can­va tam­bém facili­tam a cri­ação de uma destas figuras.

    Antes de pub­licar, olhe para o seu con­teú­do nova­mente. Escol­ha lugares onde uma imagem per­son­al­iza­da pode agre­gar “val­or”, por exem­p­lo, onde ilus­tra mel­hor um con­ceito, impul­siona uma nar­ra­ti­va, man­tém o con­teú­do diver­tido, etc.

    Faça o seu con­teú­do ir além do que o esper­a­do – transforme‑o em vários for­matos e partilhe‑o em difer­entes plataformas.

    Por exem­p­lo, trans­for­mamos o nos­so guia de mar­ket­ing de influ­en­ci­adores em um vídeo e, por sua vez, o nos­so vídeo sobre como obter mais assi­nantes do YouTube em um arti­go de blog.

    Nós tam­bém:

    Tal como o profis­sion­al de mar­ket­ing de con­teú­do Ross Sim­monds diz, “Cria uma vez, dis­tribui para sem­pre.”

    Links são um dos três fatores prin­ci­pais de clas­si­fi­cação para o Google. Se quis­er que o seu con­teú­do ten­ha uma prestação ele­va­da nos rank­ings, você pre­cis­ará de cri­ar links. 

    Um cam­in­ho – para além de con­strução de links – é com­preen­der os “gatil­hos” em links (isto é, a razão pela qual as pes­soas se conec­tam com uma deter­mi­na­da peça de con­teú­do) enquan­to você o escreve/produz. Não só isto tornará mais fácil alcançar o públi­co e con­stru­ir links, como tam­bém aju­dará nat­u­ral­mente a atrair as pes­soas certas. 

    Aqui fica como pode fazê-lo: 

    1. Vá até ao Explo­rador de Palavras-chave da Ahrefs 
    2. Pesquise pela sua palavra-chave alvo e deslize até à visão ger­al dos resul­ta­dos dos mecan­is­mos de pesquisa
    3. Encon­tre um arti­go semel­hante com inúmeros domínios já referenciados
    4. Clique no número na columa de “Back­links”
    5. Per­cor­ra a col­u­na “Ânco­ra” e “URL de des­ti­no” para ver­i­ficar pon­tos em comum

    Por exem­p­lo, se fiz­er­mos isto para o arti­go do Back­linko (tam­bém con­heci­do como Bri­an Dean) sobre escri­ta para SEO, ver­e­mos que algu­mas pes­soas estão vin­cu­ladas por causa de algu­mas dicas exclu­si­vas sobre as quais Bri­an escreveu — méto­do APP, etc.

    Se escrever­mos acer­ca do mes­mo tópi­co, ter­e­mos de cri­ar o nos­so úni­co mod­e­lo de SEO para escri­ta pub­lic­itária, também. 

    O con­teú­do pode ficar “mau” com o pas­sar do tem­po. As infor­mações podem ficar desat­u­al­izadas, a intenção de pesquisa da sua palavra-chave alvo pode mudar e os seus rank­ings podem decair.

    Quan­do isso acon­te­cer, terá que atu­alizar o seu con­teú­do o mais rap­i­da­mente possível.

    Deve atu­alizar tudo? Não, espe­cial­mente se tiv­er cen­te­nas de arti­gos como nós. Em vez dis­so, você terá que esta­b­ele­cer pri­or­i­dades. Faça isto ten­do em con­ta este flux­o­gra­ma abaixo:

    Alter­na­ti­va­mente, você tam­bém pode usar o nos­so plu­g­in Word­Press SEO gra­tu­ito para ver­i­ficar se exis­tem pub­li­cações com baixo desem­pen­ho no seu web­site. Então, se for o caso, recomen­damos seguir o guia abaixo para apren­der a mel­hor for­ma de reposi­cionar e reaproveitar o seu conteúdo.

    Leitu­ra recomen­da­da: Reaproveitar Con­teú­do: Como Atu­alizar Arti­gos de Blog Anti­gos para Efeitos de SEO

    Pro­moção e divul­gação jun­tos de blogs é o proces­so de colo­car o seu pro­du­to ou con­teú­do na frente de deten­tores de blogs e jor­nal­is­tas rel­e­vantes, envian­do e‑mails per­son­al­iza­dos para cada um deles.

    O obje­ti­vo: con­vencer as pes­soas com aces­so a um públi­co de grande dimen­são a falarem sobre você e cri­arem um link para o seu site.

    É pre­ciso enten­der que divul­gação do seu pro­du­to jun­to de ‘blogueiros’ não é spam. Não é ter per­mis­são para encher as caixas de entradas dos e‑mails de todos os inter­ve­nientes chave no seu setor implo­ran­do pela cri­ação de um link.

    Em vez dis­so, é algo mais a lon­go pra­zo. É óbvio quer algo deles — é por isso que está a entrar em con­ta­to, mas ao mes­mo tem­po tam­bém quer faz­er novos con­tatos e inter­a­gir, per­manecen­do no radar deles e con­stru­ir amizades. Em vez de des­perdiçar opor­tu­nidades de esta­b­ele­cer relações impor­tantes em tro­ca de um tweet, você dese­ja con­stru­ir o rela­ciona­men­to para que pos­sa levar a algo mais no futuro: uma colab­o­ração, uma parce­ria, etc.

    Então, como você faz divul­gação de blogs de alta qualidade?

    Escreve­mos um guia do iní­cio ao fim sobre como fazê-lo (e fazê-lo em escala tam­bém), então recomen­do dar uma revisão.

    Leitu­ra recomen­da­da: Pro­moção a Blogs: Como Fazê-lo em Escala (Sem Pare­cer Rude ou Spam)

    Todos nós quer­e­mos que o nos­so con­teú­do seja clas­si­fi­ca­do no Google, geran­do tráfego de pesquisa, con­tu­do, você pode ir bas­tante longe através desse “jogo”. E, infe­liz­mente, muitos web­sites assim o fazem. É por isso que os SERPs estão reple­tos de con­teú­dos que se pare­cem exata­mente uns com os outros.

    Não se esqueça: a clas­si­fi­cação é ape­nas uma parte da equação. Even­tual­mente, o leitor pre­cisa de con­sumir o seu con­teú­do e com­parar o seu pro­du­to com out­ros semel­hantes. Se você é ape­nas um dos muitos, não há moti­vo para alguém sub­scr­ev­er a sua lista de e‑mails, exper­i­men­tar uma avali­ação gra­tui­ta ou com­prar o seu pro­du­to; tem que se destacar.

    Destacar-se sig­nifi­ca par­til­har uma opinião. O Wire­cut­ter desta­ca-se de todos os out­ros web­sites afil­i­a­dos porque divul­ga opiniões, por exem­p­lo, “aqui está a mel­hor pan­ela anti­ader­ente”, “o mel­hor fone de ouvi­do sem fio”, “a mel­hor câmara DSLR”, etc.

    Nós par­til­hamos com todos, reg­u­lar­mente, as nos­sas opiniões através do nos­so blog. Por exem­p­lo, o meu cole­ga, Michal Pecanek, afir­mou com con­fi­ança que exis­tem algu­mas métri­c­as pop­u­lares de SEO que sim­ples­mente não impor­tam:

    Finanças não são real­mente a “min­ha pra­ia”. No entan­to, li quase todos os arti­gos escritos pelo reda­tor de finanças Mor­gan Housel. Você tam­bém – se ler os arti­gos dele:

    Mor­gan está a escr­ev­er sobre finanças, mas não é algo cha­to escrito na lin­guagem de Wall Street. Ele educa‑o de vários ângu­los: história, psi­colo­gia, biolo­gia, espaço e guer­ra. As finanças são ape­nas a tela em que ele pin­ta os seus quadros; os seus pincéis são as out­ras lentes que ele usa para apre­sen­tar o assun­to, de uma for­ma enriquecedora.

    A sua indús­tria pode ser “cha­ta”, mas não deixe o seu con­teú­do ser.

    Encon­tre out­ra lente que você pos­sa usar para ver seu setor de uma nova maneira. Por exem­p­lo, Ani­malz escreveu sobre mar­ket­ing de con­teú­do a par­tir da “per­speti­va de um bura­co negro”.

    Como Mor­gan coloca:

    A chave para a per­suasão é ensi­nar às pes­soas algo novo através das lentes de algo que elas já enten­dem. Isto é fun­da­men­tal deixar por escrito. Os leitores querem apren­der algo novo e apren­dem mel­hor quan­do se podem rela­cionar um novo assun­to a algo com o qual já estão familiarizados.

    Ler uma pági­na de uma recei­ta culinária, hoje em dia, sig­nifi­ca ter­mi­nar o equiv­a­lente ao livro “Guer­ra e Paz” de Leo Tol­stoy, antes de final­mente apren­der a coz­in­har aque­le pra­to de três minutos.

    Isto acon­tece dev­i­do à crença pop­u­lar de que arti­gos mais lon­gos sig­nifi­cam mais tráfego orgâni­co. Mas, de acor­do com o nos­so estu­do de 900 mil­hões de pági­nas, há uma cor­re­lação neg­a­ti­va mod­er­a­da entre a con­tagem de palavras e o tráfego orgâni­co para arti­gos com mais de 2.000 palavras.

    Por out­ras palavras, a pub­li­cação média de 10.000 palavras recebe menos tráfego de pesquisa do que a pub­li­cação média de 2.000 palavras.

    Então, por favor, pare de ficar obceca­do com a con­tagem de palavras. Ninguém quer ler con­teú­do mais lon­go, por isso cubra tão pro­fun­da­mente quan­to necessário, corte os aspetos sem importân­cia e vá dire­to ao pon­to chave. 

    Você não pode esper­ar que cada con­teú­do que cria atin­ja todas as suas metas de mar­ket­ing de con­teú­do. Assim como no mun­do das finanças, pre­cisa de diver­si­ficar e ele­var a qual­i­dade com regularidade.

    Depen­den­do dos obje­tivos e pri­or­i­dades do seu negó­cio, você pode pre­cis­ar do seguinte:

    • Con­teú­do otimiza­do para pesquisa
    • Linkbait
    • Con­teú­do de capac­i­tação de vendas
    • Con­teú­do de lid­er­ança de pensamento

    E mais aspetos.

    Emb­o­ra a clas­si­fi­cação no Google seja impor­tante para nós, o con­teú­do pro­je­ta­do para clas­si­fi­cação nos motores de pesquisa não é o úni­co tipo de con­teú­do que cri­amos. Tam­bém pub­li­camos estu­dos de dados (para lid­er­ança de pen­sa­men­to e links), atu­al­iza­ções de pro­du­tos (para retenção), arti­gos de opinião (para lid­er­ança de pen­sa­men­to) e fer­ra­men­tas gra­tu­itas de SEO (para ger­ação de leads diretos).

    Leitu­ra recomen­da­da: Risco vs. Rec­om­pen­sa: Como Con­stru­ir um Por­fólio de Con­teú­do Diversificado

    Mais recen­te­mente, com­pil­am­os os nos­sos mel­hores guias gra­tu­itos em um só pon­to de par­ti­da prin­ci­pal para todos os nos­sos leitores.

    Isto é con­heci­do como um “hub” de con­teú­do (um con­teú­do basi­lar). Os “hubs” de con­teú­do são coleções interli­gadas de con­teú­do sobre um tópi­co semel­hante. Veja como é, na teoria: 

    Uma vez que o nos­so blog é exibido por ordem cronológ­i­ca, inver­sa­mente, uma pági­na cen­tral como esta aju­da os nos­sos leitores a desco­brir mais acer­ca do nos­so con­teú­do de maneira organizada.

    Se tiv­er muito con­teú­do que se prove incrív­el, con­sidere cri­ar pági­nas de “hub” para os vin­cu­lar a todos.

    Leitu­ra recomen­da­da: Hubs de Con­teú­do para SEO: Como Obter Mais Tráfego e Mais Links

    Considerações finais

    Espero que ten­ha acaba­do de ler este arti­go com uma série de dicas de mar­ket­ing de con­teú­do acionáveis que você pode aplicar ao seu negó­cio já hoje. 

    Esque­ci-me de algu­ma dica útil de mar­ket­ing de con­teú­do? Se tiv­er algu­ma para par­til­har comi­go, entre em con­ta­to no Twit­ter.