Dados Analíticos de SEO: O Guia Passo-a-Passo Simples

Kayle Larkin
Estrategista de SEM orientado a dados. Dedicado a tornar as análises fáceis de entender e acessíveis a todos os proprietários de negócios.
    É impos­sív­el pri­orizar e obter aprovação para os seus esforços de SEO sem saber o que está e o que não está a traz­er resul­ta­dos para o seu website.

    Isso é porque não pode tomar decisões racionais sem saber quais dos seus esforços de SEO estão (e não estão) a con­tribuir para os seus objetivos. 

    Neste guia, irá apren­der como resolver este prob­le­ma usan­do a fer­ra­men­ta de análise para SEO.

    A análise para SEO é o proces­so de recol­ha e de análise de dados em bru­to para infor­mar mel­hor os seus esforços de otimiza­ção de mecan­is­mos de pesquisa. Este proces­so ajuda‑o a pri­orizar tare­fas, obter aprovação para cam­pan­has de SEO e a tomar mel­hores decisões para mel­ho­rar o SEO.

    Não impor­ta se está a otimizar um blog pes­soal, enquan­to aprende as regras ou pres­ta con­sul­to­ria para um negó­cio SaaS cor­po­ra­ti­vo. Todos os profis­sion­ais de mar­ket­ing ben­e­fi­cia­rão das infor­mações obti­das na análise de SEO porque os dados elim­i­nam grande parte das suposições para o desen­volvi­men­to de metas e estraté­gias, de for­ma pragmática.

    Aqui ficam uma série de questões que uma boa análise para SEO pode respon­der e aju­dar a resolver:

    • Quais os esforços de mar­ket­ing que trazem o tráfego mais valioso?
    • Que con­teú­dos os usuários inter­agem mais?
    • De onde é que os meus mel­hores clientes provêm?
    • O que está fazen­do a competição?
    • Como pos­so obter mais back­links?
    • Onde é que esta­mos a perder dinheiro?
    • Como é que aumen­ta­mos o vol­ume de vendas?

    Cada empre­sa encon­tra val­or em diver­sas métri­c­as de dados. Por­tan­to, emb­o­ra eu não pos­sa diz­er exata­mente quais os pon­tos de dados a focar, pos­so delin­ear uma abor­dagem ger­al para a análise de SEO, que é igual­mente aplicáv­el a prati­ca­mente todas as empresas.

    Passo 1. Planeie o seu trabalho

    Pode facil­mente perder-se no “bura­co sem fim” que é uma fer­ra­men­ta de análise, per­den­do tam­bém foco no seu obje­ti­vo final. Por isso, o primeiro pas­so é per­gun­tar a si mes­mo, “o que é que quero saber com esta análise?”.

    A par­tir daqui, pode mapear quais as fer­ra­men­tas necessárias e quais os relatórios a extrair.

    Não tente igno­rar esta eta­pa. Um bom planea­men­to é a chave para pro­je­tos de análise de dados que corre da for­ma mais fluí­da. Se avançar esta eta­pa, só cri­ará mais tra­bal­ho para si mes­mo e perderá apon­ta­men­tos importantes.

    Passo 2. Configure as ferramentas de análise certas

    Ago­ra que sabe para que pre­cisa de dados, a próx­i­ma eta­pa é con­fig­u­rar as fer­ra­men­tas de análise que cole­tarão os dados.

    Como esta­mos a ten­tar clas­si­ficar pos­i­ti­va­mente no Google, pre­cisamos de con­fig­u­rar as fer­ra­men­tas que forneçam infor­mações sobre a nos­sa pre­sença de pesquisa no Google e clas­si­fi­cações de palavras-chave. Exis­tem muitas fer­ra­men­tas, gra­tu­itas e pagas, mas há três que recomen­damos con­fig­u­rar como pon­to de partida.

    Google Search Console (Consola de Pesquisa do Google)

    O Google Search Con­sole (GSC) fornece dados para aju­dar a enten­der o que está a acon­te­cer nos resul­ta­dos de pesquisa do Google.

    Pense no GSC como a sua “janela” para a pági­na de resul­ta­dos do mecan­is­mo de pesquisa (SERP). Des­ta for­ma, esta fer­ra­men­ta per­mite obter infor­mações sobre o desem­pen­ho do seu con­teú­do, prob­le­mas de cober­tu­ra do índice e da exper­iên­cia do usuário com pági­nas do seu website.

    Veja como con­fig­u­rar isso:

    1. Vá à Google Search Console
    2. Clique Começar Ago­ra (Start Now)
    3. Sele­cione Adi­cionar pro­priedade (Add prop­er­ty) no menu
    4. Insira um domínio ou pre­fixo URL
    5. Escol­ha um méto­do de ver­i­fi­cação válido

    Google Analytics (Análise do Google)

    O Google Ana­lyt­ics (GA) é a fer­ra­men­ta que per­mite anal­is­ar o com­por­ta­men­to de um deter­mi­na­do usuário no seu web­site. Esta fer­ra­men­ta infor­ma o que os usuários orgâni­cos fazem quan­do chegam ao seu web­site, quão famil­iares estão com as suas pági­nas, no que cli­cam e quan­tos leads (ou ven­das) eles geram.

    Aqui está um rápi­do proces­so, pas­so a pas­so, para con­fig­u­rar o Google Analytics:

    1. Vá a analytics.google.com
    2. Clique em Começar a Medir (Start measuring)
    3. Insira um nome para a con­ta (account name) e, em segui­da, clique em Avançar (Next)
    4. Insira um Nome de pro­priedade (Prop­er­ty name) e clique em Avançar (Next)
    5. Clique em Mostrar Opções Avançadas (Show advanced options)
    6. Acione a opção para cri­ar uma pro­priedade do “Uni­ver­si­ty Analytics”
    7. Insira um URL de Web­site e depois clique em Avançar (Next)
    8. Clique em Cri­ar (Cre­ate)
    9. Por fim, adi­cione o tag do Google Ana­lyt­ics da sua con­ta no seu website

    É impor­tante obser­var que os pro­du­tos do Google Ana­lyt­ics não são retroa­t­ivos. Ou seja, o GA não pode diz­er o que acon­te­ceu, ape­nas o que acon­tece quan­do a tag de ras­trea­men­to está fun­cional e no seu respeti­vo lugar.

    Depen­den­do do seu tem­po até à con­ver­são de um novo cliente e da sazon­al­i­dade do seu pro­du­to, talvez seja necessário aguardar antes que uma análise sig­ni­fica­ti­va pos­sa ser fei­ta. Por­tan­to, quan­to mais cedo colo­car estas fer­ra­men­tas no lugar, melhor.

    Ahrefs

    É inegáv­el que as fer­ra­men­tas gra­tu­itas do Google são um recur­so incrív­el para pro­fes­sion­ais de SEO, mas as mes­mas nun­ca foram feitas para faz­er e exe­cu­tar tudo. Exis­tem alguns casos em que pre­cis­ará de inve­stir em soft­ware con­fiáv­el para aju­dar a recol­her os mais diver­sos dados, como o Ahrefs.

    Aqui fica como con­fig­u­rar um novo projeto:

    1. Vá a App.Ahrefs.com
    2. Clique + Novo Pro­je­to (New Project)
    3. Escol­ha Impor­tar da GSC ou Adi­cionar manualmente
    4. Adi­cione o alcance desejado
    5. Ver­i­fique quem é detentor
    6. Agende audições/análises ao seu website
    7. Adi­cione palavras-chave que queira ras­trear e analisar
    8. Adi­cione con­cor­rentes que queira analisar

    Passo 3. Configurar painéis e relatórios

    Ago­ra que já con­fig­urou as suas fer­ra­men­tas de análise, é pre­ciso visu­alizar as infor­mações de uma maneira fácil de enten­der, de for­ma a agir em con­cordân­cia e com eficácia.

    A maio­r­ia das fer­ra­men­tas de SEO men­cionadas aci­ma já pos­suem vários relatórios pré-feitos.

    Por exem­p­lo, o relatório de Back­links no Explo­rador de Web­sites (Site Explor­er) mostra quem está vin­cu­la­do ao seu web­site, de onde ess­es usuários se estão a vin­cu­lar e o tex­to ânco­ra (anchor text) que eles usam:

    O relatório de opor­tu­nidades de cri­ação de links na audi­to­ria do web­site (Site Audit) infor­ma sobre todas as opor­tu­nidades de cri­ar links inter­nos que foram perdidas:

    E o relatório Cober­tu­ra (Cov­er­age) no Google Search Con­sole informa‑o sobre prob­le­mas que afe­tam a pre­sença do seu web­site na pesquisa do Google:

    Relatórios como estes aqui demon­stra­dos são muito úteis e per­spi­cazes, ofer­e­cen­do um óti­mo pon­to de par­ti­da para anális­es de SEO. Mas há muitos casos em que pre­cis­ará de cri­ar relatórios e painéis per­son­al­iza­dos para poder ver os dados com mais clareza.

    É um fac­to que não pode faz­er isto no Google Search Con­sole, mas pode per­son­alizar muito no Google Ana­lyt­ics. Você tam­bém pode usar os fil­tros avança­dos no Site Audit para iden­ti­ficar todo e qual­quer prob­le­ma que dese­jar identificar.

    Por exem­p­lo, este con­jun­to bas­tante especí­fi­co de fil­tros cria, efe­ti­va­mente, um relatório que nos per­mite ficar de aler­ta em links de biografia não fun­cionais ou redi­re­ciona­dos para o nos­so blog:

    Mas ain­da assim, se estiv­er a tra­bal­har com dados de várias fontes, o ide­al é um painel que extra­ia os dados necessários e os apre­sente como quis­er. É aqui que o Google Data Stu­dio é útil, pois per­mite que você faça exata­mente isso.

    Exis­tem mod­e­los de painéis disponíveis na gale­ria públi­ca ou, caso con­trário, você pode cri­ar o seu próprio do zero.

    Veja como con­fig­u­rar um relatório do Google Data Studio:

    1. Vá até ao Data Stu­dio
    2. Clique na Gale­ria de Mod­e­los (Tem­plate Gallery)
    3. Sele­cione as fontes de dados na lista sus­pen­sa do sep­a­rador Cat­e­go­ria (Cat­e­go­ry)
    4. Escol­ha um mod­e­lo de relatório da galeria
    5. Faça um relatório de amostra e ver­i­fique se este pos­sui todos os recur­sos de que você precisa
    6. Clique em Usar Mod­e­lo (Use Template)
    7. Adi­cione a sua nova fonte de dados
    8. Clique em Copi­ar Relatório (Copy Report)

    O impor­tante a ter em con­ta com os painéis e relatórios de SEO é que não neces­si­ta de todos os detal­h­es mais min­u­ciosos que sur­jam. Sim­ples­mente pre­cisa de dados que o infor­marão sobre o desen­volvi­men­to da sua estratégia.

    Restrin­ja-se às métri­c­as que con­tam a história sobre o que está a resul­tar e iden­ti­fique pos­síveis áreas a mel­ho­rar ainda.

    Passo 4. Reveja e seja acionável nos dados apresentados

    A eta­pa final é vis­i­tar nova­mente os dados apre­sen­ta­dos (e agir). Os dados são inúteis sem ação. Relatórios imac­u­la­dos volta­dos para o cliente não são o pon­to prin­ci­pal, mas o mel­hor desem­pen­ho — sim.

    Vamos dar uma olha­da em algu­mas das per­gun­tas para as quais recor­re­mos à análise de dados, usan­do as nos­sas fer­ra­men­tas para respondê-las.

    Google Analytics: Que conteúdo obtém maior volume de interação? 

    O Google diz-nos no seu próprio Guia para Prin­cipi­antes de SEO que “qual­quer otimiza­ção deve ser cen­tra­da em mel­ho­rar a exper­iên­cia do usuário”.

    Mas como é que pode saber com que con­teú­do os seus usuários estão (e não estão) relacionados?

    Essa pode ser uma per­gun­ta difí­cil de respon­der, mas a métri­ca “Tem­po médio de inter­ação” no Google Ana­lyt­ics 4 pode aju­dar. Esta métri­ca mostra o tem­po médio de inter­ação por usuário.

    Veja como vê-lo para as suas vis­i­tas orgânicas:

    1. Vá a Google Ana­lyt­ics 4
    2. Clique em Inter­ação > Pági­nas e Telas 
    3. Click Todos os usuários, local­iza­do no topo
    4. Altere a dimen­são para Primeiro Canal de Usuário (First User Medium)
    5. Altere o val­or da dimen­são para orgâni­co
    6. Clas­si­fique a tabela por “Tem­po médio de inter­ação” de maior para menor

    Ago­ra está a obser­var as pági­nas mais ou menos usa­dos no seu website.

    Ain­da assim, dig­amos que deve ain­da encar­ar ess­es dados com uma rés­tia de dúvi­da e descon­fi­ança, porque algu­mas pági­nas serão mais lon­gas que out­ras. Ter um tem­po médio de inter­ação baixo num arti­go de blog de 300 palavras provavel­mente não é um sinal de que não é atraente; sim­ples­mente não há muito para ler. 

    Da mes­ma for­ma, você não deve obser­var muito os dados de pági­nas com poucos usuários porque não é acon­sel­háv­el basear as suas decisões em amostras pequenas.

    Search Console (Consola de Pesquisa): Como aumento o número de backlinks?

    O nos­so estu­do de mais de um bil­hão de pági­nas encon­trou uma relação clara entre o tráfego de bus­ca orgâni­ca e os back­links. Por­tan­to, se dese­ja aumen­tar o tráfego, os back­links são defin­i­ti­va­mente algo que deve prestar atenção.

    Para obter mais back­links, terá de respon­der à seguinte questão: Que con­teú­do mais atrai backlinks? 

    A respos­ta pode ser encon­tra­da na Google Search Console:

    1. Vá à Google Search Console
    2. Abra o relatório de Links
    3. Clique em Mais no relatório “Pági­nas de links prin­ci­pais” no sub­tí­tu­lo “Links externos”
    4. Clas­si­fique o relatório por “Links de web­sites” em ordem decrescente

    Pro­cure padrões no tipo de back­links que ger­am con­teú­do relevante.

    Para nós, são clara­mente estudos:

    Lem­bre-se que o Search Con­sole mostrará ape­nas o número de back­links e web­sites vin­cu­la­dos, não a qual­i­dade dos mes­mos. Para se apro­fun­dar e anal­is­ar a sua qual­i­dade, é pre­ciso uma fer­ra­men­ta de back­link de ter­ceiros, como o Site Explor­er (Explo­rador de Web­sites). Você pode usá-lo para visu­alizar back­links para seu próprio site gra­tuita­mente, inscreven­do-se nas Fer­ra­men­tas da Ahrefs para Web­mas­ters.

    Aqui estão todos os back­links para o nos­so estu­do de tráfego de bus­ca orde­na­dos pelo tráfego orgâni­co men­sal esti­ma­do da pági­na do link (que é um bom proxy para a qual­i­dade do backlink):

    PRO TIP

    Você pode usar o relatório Mel­hores por Links (Best by links) no Site Explor­er para ver qual o con­teú­do dos seus con­cor­rentes que atraiu mais back­links. Isso pode ser muito útil e rel­e­vante para encon­trar ideias de con­teú­do pop­u­lares “dig­nas de link” que pos­sam ter escapa­do à sua atenção.

    Ahrefs: Para qual conteúdo os meus concorrentes estão a classificar e eu não estou?

    Emb­o­ra eu não acon­sel­he basear toda a sua estraté­gia de mar­ket­ing no que os seus con­cor­rentes estão a exe­cu­tar e a delin­ear, é lógi­co que, se dois ou três con­cor­rentes estão a clas­si­ficar para uma palavra-chave especí­fi­ca (para a qual você não está), este dado é impor­tante para o seu mer­ca­do de ação.

    Pode encon­trar essas palavras-chave com a fer­ra­men­ta Con­tent Gap da Ahrefs:

    1. Vá ao Site Explor­er
    2. Insira o seu domínio
    3. Clique em “Con­tent Gap” no menu da esquerda
    4. Insira dois a três dom­iníos dos seus concorrentes
    5. Clique em Mostrar Palavras-Chave (Show keywords)

    Se esta ação desco­brir muitas palavras-chave ou, por out­ro lado, vir muitas delas como irrel­e­vantes, mude o número de inter­seções para duas ou três, no máximo. 

    Leitu­ra Recomen­da­da: Como faz­er uma análise efi­caz de lacu­nas de con­teú­do para SEO

    Considerações finais

    Neste arti­go, defin­i­mos o que sig­nifi­ca análise para SEO, por que é impor­tante para o mar­ket­ing dig­i­tal e como começar.

    Este­ja a otimizar um blog pes­soal ou um web­site mul­ti­m­il­ionário de eCom, os ensi­na­men­tos que obterá da análise devem estar no cen­tro de sua abor­dagem para definir e mel­ho­rar o desem­pen­ho no geral.

    Se não reti­rar mais nada deste arti­go, lem­bre-se de que a análise de SEO é sim­ples­mente um meio para um fim. É um proces­so para iden­ti­ficar e, em segui­da, imple­men­tar uma respos­ta que agregue val­or ao seu usuário.

    ​​Tem questões? Envie men­sagem no Twit­ter.