Os links ainda são importantes para os rankings? Veja o estudo da Ahrefs

Patrick Stox
Patrick Stox é o Consultor de Produto, SEO técnico e Embaixador da Marca na Ahrefs. Ele é o organizador da Raleigh SEO Meetup, da Raleigh SEO Conference, da Beer & SEO Meetup, da Findability Conference e moderador no /r/TechSEO.
    Nos últi­mos anos, ten­ho vis­to mais pes­soas a comen­tar que os links estão mor­tos, não impor­tam para os rank­ings ou perder­am toda a sua importân­cia. Os links são um fator impor­tante de clas­si­fi­cação con­fir­ma­do e seguro e, por isso, achei que seria inter­es­sante tes­tar o seu impacto nos dias de hoje.

    Em vez de cri­ar links para pági­nas, imag­inei que a maneira mais fácil de tes­tar a relevân­cia de links seria removê-los asso­ci­a­dos a uma pági­na e ver o que acon­te­cia. Com a aju­da do meu cole­ga Joshua Hard­wick, chefe de con­teú­do da Ahrefs, escol­he­mos três arti­gos e rejeita­mos todos os links para essas pági­nas durante um mês, removen­do assim o val­or dos links exter­nos. Um mês depois, removi-os do arquivo/ficheiro de rejeição, que dev­e­ria ter restau­ra­do o val­or dos links.

    O arqui­vo de rejeição foi proces­sa­do ime­di­ata­mente, mas os links den­tro do arqui­vo ain­da pre­cisavam de ser mon­i­tor­iza­dos e anal­isa­dos nova­mente antes que o impacto da rejeição pudesse ser vis­to. Acon­te­ceu o mes­mo uma vez que a rejeição foi removi­da. As pági­nas de links tiver­am que ser anal­isadas nova­mente para que pudésse­mos medir o impacto. Na min­ha per­speti­va, achei que um mês para cada perío­do tem­po­ral dev­e­ria ser lon­go o sufi­ciente para que os links mais impor­tantes fos­sem anal­isa­dos e para que pudésse­mos ver o real impacto.

    Rejeita­mos 3,476 links em três arti­gos no blog e foi car­rega­do no dia 17 de agos­to e removi­do qua­tro sem­anas depois, no dia 14 de setembro.

    Aler­ta: Os links ain­da são impor­tantes. O tráfego e as palavras-chave caíram depois de eu ter rejeita­do os links e aumen­taram assim que removi o arqui­vo de rejeição.

    Teste de rejeição de tráfego orgânico.

    Observe a que­da ime­di­a­ta no tráfego quan­do car­reguei o arqui­vo de rejeição a 17 de agos­to. A tendên­cia de que­da con­tin­u­ou por um tem­po à medi­da que mais pági­nas com links para ess­es mes­mos blogs eram anal­isadas. Em para­le­lo, tam­bém pude ver­i­ficar o aumen­to ime­di­a­to quan­do removi o arqui­vo de rejeição no dia 14 de setem­bro. Sus­peito que esse impacto ime­di­a­to seja porque os links “mais valiosos”, isto é, com maior autori­dade, estão em pági­nas que provavel­mente têm maior PageR­ank e são ras­trea­d­os mais frequentemente.

    Vamos obser­var ago­ra os exem­p­los em maior detalhe.

    As páginas de teste

    O grá­fi­co que usei aci­ma é rel­a­ti­vo ao tráfego orgâni­co médio da Ahrefs, que é uma métri­ca estáv­el que mede a vis­i­bil­i­dade da pesquisa. Este grá­fi­co aprox­i­ma o tráfego com base nas clas­si­fi­cações e na taxa de cliques esper­a­da para todas as palavras-chave para as quais uma pági­na é classificada.

    Eu pre­tendia usar uma métri­ca mais estáv­el porque aspetos como cliques ou impressões podem ser afe­ta­dos pela sazon­al­i­dade ou pelos com­por­ta­men­tos do usuário. As métri­c­as de cliques e impressões do Google Search Con­sole seguiram prin­ci­pal­mente as mes­mas tendên­cias, mas não para todos os casos.

    O teste incluiu três pági­nas difer­entes no total. Vamos ver cada exem­p­lo abaixo.

    Exemplo 1.

    Pági­na: Pesquisas Topo no YouTube (em 2021)

    Eu esper­a­va que perdêsse­mos rank­ings para algu­mas das bus­cas mais pop­u­lares e acabásse­mos com menos tráfego por causa da com­pet­i­tivi­dade para o tópi­co em causa. E sim – foi ver­dade. Esta pági­na perdeu cer­ca de 18% do seu tráfego de bus­ca no primeiro mês, con­tu­do não esper­a­va que fos­se mais 4%, depois de remover­mos o arqui­vo de rejeição.

    Recu­per­amos mais da metade da per­da des­de então, mas o tráfego de pesquisa ain­da está baixo no geral.

    Vejamos o porquê.

    Aqui estão alguns dos ter­mos que mais influ­en­cia­ram nas ossas esti­ma­ti­vas de tráfego e as suas posições de clas­si­fi­cação durante todo o teste.

    Para “pesquisas no YouTube”, uma pági­na do YouTube e uma pági­na do Google Trends reduzi­ram a clas­si­fi­cação da nos­sa pági­na nos resul­ta­dos durante o teste. Ain­da assim, volta­mos ao número 1 e recu­per­amos o tráfego para este período.

    Para o ter­mo “qual é o con­teú­do mais pesquisa­do no YouTube” e “coisa mais pesquisa­da no YouTube”, um con­cor­rente apoder­ou-se do tre­cho que nos desta­ca­va e ain­da o man­tém em sua posse.

    Exemplo 2.

    Pági­na: Preçários de SEO: ~350 Agên­cias, Con­sul­tores e Free­lancers Rev­e­lam Quan­to Cus­ta Faz­er SEO

    Eu não esper­a­va muito impacto nes­ta pági­na quan­do deci­di remover os links, sim­ples­mente porque a con­cor­rên­cia aqui era muito mais fra­ca. Mas neste caso, esta­va erra­do. Enquan­to os links foram rejeita­dos, esta pági­na perdeu 13,3% do seu tráfego. Porém, quan­do remove­mos o arqui­vo, a pági­na voltou a 99% do tráfego con­quis­ta­do anteriormente.

    Aqui estão alguns dos ter­mos que mais influ­en­cia­ram as nos­sas esti­ma­ti­vas de tráfego e as suas respeti­vas posições de clas­si­fi­cação durante o teste.

    Exemplo 3.

    Pági­na: Pesquisas Topo no Bing (em 2021)

    Por causa da con­cor­rên­cia neste aspeto, eu esper­a­va que esta pági­na tivesse uma que­da sig­ni­fica­ti­va. Curiosa­mente, o tráfego quase não caiu durante o perío­do de rejeição, mas assim que removi o arqui­vo de rejeição, a pági­na dis­parou no tráfego para mais de 44%.

    Na ver­dade, esta é a pági­na que mexeu com as tendên­cias de cliques e impressões. Por isso, acho que se deve prin­ci­pal­mente ao fac­to de muitos do ter­mos não terem sido impactados.

    Ape­nas um ter­mo real­mente influ­en­ciou as esti­ma­ti­vas de tráfego para esta página.

    Conclusão

    Links ain­da impor­tam. As pági­nas tes­tadas ain­da estão abaixo da posição onde começaram. Pode ser por causa de mudanças no algo­rit­mo, de links que ain­da não foram anal­isa­dos nova­mente ou porque out­ros web­sites rece­ber­am mais links enquan­to nós fazíamos o opos­to. Ain­da assim, espero que volte­mos pelo menos para onde está­va­mos antes deste teste.

    Não recomen­do, de todo, que rejeite todos os links para as suas pági­nas. A fer­ra­men­ta de rejeição, em ger­al, deve ser usa­da com cautela, pois o Google desval­oriza prin­ci­pal­mente links com mau con­teú­do e baixa autori­dade hoje em dia.

    É da opinião de que devíamos faz­er este teste múlti­plas vezes mais para ver o que acon­tece? Se sim, diga-me no Twit­ter.