Testes de SEO: Um Guia Simples (Mas Completo)

Avatar
Head of Content @ Ahrefs (or, in plain English, I'm the guy responsible for ensuring that every blog post we publish is EPIC).
    Se não tem certeza se faz­er uma alter­ação no seu web­site afe­tará pos­i­ti­va ou neg­a­ti­va­mente o SEO, exe­cu­tar um teste de SEO pode ser a solução.

    Mas quan­do deve faz­er testes de SEO e como?

    Neste guia, aprenderá:

    Testes de SEO são o proces­so de faz­er alter­ações no seu web­site e medir o impacto no tráfego de pesquisa orgâni­ca ou no posicionamento.

    Aqui estão qua­tro bene­fí­cios de exe­cu­tar testes de SEO:

    1. Veja o que funciona para o seu website

    Deixan­do de lado os fatores de posi­ciona­men­to con­heci­dos, há muitos cenários “isso depende” em SEO. Só porque alguém viu um impacto pos­i­ti­vo depois de faz­er uma mudança, não sig­nifi­ca que as coisas acon­te­cerão da mes­ma for­ma para si. É mel­hor testá-lo no seu website.

    2. Justificar a alocação de recursos

    Imple­men­tar alter­ações de SEO pode absorv­er muito tem­po e recur­sos. Se essa mudança não tiv­er o efeito dese­ja­do, é um des­perdí­cio de ener­gia. O teste infor­ma se algo provavel­mente terá um impacto pos­i­ti­vo em menos tem­po e usan­do menos recursos.

    3. Seja orientado por dados, não por opiniões

    Toda a gente tem uma opinião sobre o que fun­ciona e o que não fun­ciona em SEO. Fre­quente­mente, a maneira mais ráp­i­da de resolver dis­putas é testá-las. Se não fiz­er isso, a pes­soa com a voz mais alta tende a ditar a direção — o que nem sem­pre é o melhor.

    4. Certifique-se de que as mudanças não saem pela culatra

    Se há algo pior do que gas­tar tem­po e esforço imple­men­tan­do uma mudança de SEO que não tem impacto sobre o SEO, é faz­er o mes­mo com algo que afe­ta neg­a­ti­va­mente o SEO. Exe­cu­tan­do um teste de SEO, pode lim­i­tar qual­quer resul­ta­do neg­a­ti­vo a um pequeno sub­con­jun­to de páginas.

    Exis­tem três tipos prin­ci­pais de testes de SEO.

    1. Teste de SEO em série (não recomendado)

    O teste em série é quan­do altera todas as pági­nas do seu web­site de uma vez e obser­va o resul­ta­do. Não recomen­damos isso por três motivos:

    1. Se a mudança afe­tar neg­a­ti­va­mente o SEO, afe­tará todas as suas pági­nas — não ape­nas algumas.
    2. Geral­mente, é mais demor­a­do faz­er uma alter­ação em todo o web­site e ain­da mais demor­a­do se for pre­ciso revertê-la.
    3. Não leva em con­sid­er­ação a sazon­al­i­dade ou var­iáveis ​​fora do seu controlo.

    2. Teste de SEO baseado em tempo (não recomendado)

    O teste basea­do em tem­po é quan­do faz uma alter­ação numa pági­na e vê o seu desem­pen­ho. Não recomen­damos este tipo de teste de SEO porque não é acon­sel­háv­el assumir a causal­i­dade com um taman­ho de amostra de um.

    3. Teste A/B de SEO

    O teste A/B (ou teste de divisão) é onde altera algu­mas pági­nas, mas não out­ras. Em segui­da, com­para como as pági­nas alter­adas se com­por­tam com as pági­nas inal­ter­adas. O grupo de pági­nas inal­ter­adas é con­heci­do como o grupo de con­tro­lo e o grupo de pági­nas alter­adas é con­heci­do como o grupo de vari­antes. Recomen­damos esse tipo de teste de SEO porque:

    1. Se a mudança afe­tar neg­a­ti­va­mente o SEO, afe­tará ape­nas um pequeno sub­con­jun­to de páginas. 
    2. Não é tão demor­a­do quan­to o teste em série, porque só pre­cisa de faz­er alter­ações num pequeno sub­con­jun­to de páginas.
    3. Isso aju­da a con­tabi­lizar a sazon­al­i­dade e as var­iáveis ​​fora do seu con­tro­lo, porque estas coisas afe­tam os dois gru­pos de páginas.

    O teste de SEO provavel­mente não é cer­to para si, a menos que o seu web­site rece­ba uma quan­ti­dade sig­ni­fica­ti­va de tráfego orgâni­co. Esta­mos a falar de dezenas ou cen­te­nas de mil­hares de vis­i­tas orgâni­cas por mês. Há duas razões para isso:

    1. Exis­tem maneiras mel­hores de gas­tar o seu tem­po. Se o seu web­site não recebe muito tráfego, os testes de SEO não vão resolver isso. Em vez dis­so, con­cen­tre-se na cri­ação de con­teú­do mais foca­do na pesquisa, na con­strução de mais back­links e em out­ras téc­ni­cas con­heci­das por mel­ho­rar o SEO.
    1. Os resul­ta­dos serão esta­tis­ti­ca­mente insignif­i­cantes. Se pedisse a três pes­soas para nomearem a sua ban­da favorita e todas dissessem BTS, não pre­sumiria que todos os out­ros sen­tis­sem o mes­mo. Provavel­mente acabou de encon­trar alguns fãs obsti­na­dos do BTS. No entan­to, se per­gun­tasse a 10.000 pes­soas, e todas elas dissessem BTS, seria jus­to pre­sumir que a maio­r­ia das pes­soas são fãs. É a mes­ma história com os testes de SEO. Não é sen­sato pre­sumir a causal­i­dade entre uma mudança e o resul­ta­do obser­va­do sem uma amostra substancial.

    Se o seu web­site recebe muito tráfego, mel­ho­rar as posições ou aumen­tar o tráfego numa peque­na per­cent­agem pode impactar sig­ni­fica­ti­va­mente o seu negó­cio — e é aqui que os testes de SEO fazem sentido.

    Siga estas sete eta­pas para começar os testes de SEO:

    1. Forme uma hipótese

    Uma hipótese é uma pre­visão. É onde decide o que vai mudar e como acha que isso afe­tará a vis­i­bil­i­dade de SEO do seu website.

    Aqui está uma fór­mu­la sim­ples para for­mar uma hipótese:

    [mudança] levará a [efeito] em [tipos de páginas]

    Aqui está um exemplo:

    [adi­cionar descrições cur­tas] levará a [uma mel­ho­ria de 10% no tráfego orgâni­co] nas [pági­nas da cat­e­go­ria de loja online de móveis para jardim]

    Pode ver que descreve­mos o que vamos mudar, o resul­ta­do pre­tendi­do e os tipos de pági­na que usare­mos para o teste.

    Cer­ti­fique-se que escol­he um grupo de pági­nas que ten­ham muito em comum ao faz­er isso — como pub­li­cações de blog ou pági­nas de cat­e­go­ria duma loja online — para min­i­mizar var­iáveis ​​que podem atra­pal­har os resul­ta­dos do seu teste. A sua hipótese tam­bém deve ser um pal­pite, não ape­nas algo aleatório.

    2. Escolha as suas páginas

    É uma práti­ca recomen­da­da exe­cu­tar testes ape­nas com pági­nas que obtêm uma quan­ti­dade razoáv­el de tráfego orgâni­co. Isto ocorre porque não apren­derá muito com uma pági­na que recebe pouco ou nen­hum tráfego orgâni­co. Isto ape­nas dis­torcerá os resul­ta­dos do seu teste.

    Pode encon­trar pági­nas com tráfego orgâni­co sufi­ciente no Google Ana­lyt­ics:

    1. Vá a Com­por­ta­men­to > Con­teú­do do site > Pági­nas de destino
    2. Fil­trar ape­nas por tráfego orgânico
    3. Fil­tre os tipos de pági­na que dese­ja tes­tar (por exem­p­lo, pági­nas com /blog/ no URL)
    4. Fil­trar por pági­nas com pelo menos [x] sessões

    Se não usa o Google Ana­lyt­ics, pode faz­er a mes­ma coisa usan­do o Explo­rador de Web­sites da Ahrefs.

    1. Insira o seu domínio no Explo­rador de websites
    2. Vá ao relatório Pági­nas Prin­ci­pais 2.0
    3. Fil­tre por pági­nas que obtêm pelo menos [x] quan­ti­dade de tráfego por mês
    4. Fil­tre os tipos de pági­na do seu inter­esse com base em foot­prints (por exem­p­lo, /blog/ no URL) usan­do o fil­tro Incluir

    Descar­regue os resul­ta­dos e limpe-os quan­do necessário. Estas são as pági­nas que usará para o seu teste.

    3. Retire uma amostra aleatória

    Exe­cu­tará um teste de divisão AB, então só pre­cis­ará de faz­er alter­ações num sub­con­jun­to aleatório de pági­nas. As pági­nas restantes for­marão o seu grupo de controlo.

    Se estiv­er a usar uma fer­ra­men­ta de teste de SEO ded­i­ca­da, esta pode lidar com a amostragem aleatória. No entan­to, se estiv­er a faz­er as coisas man­ual­mente, a maneira mais fácil de escol­her uma amostra aleatória é usan­do a função “Ran­dom­izar inter­va­lo” no Google Sheets.

    Aqui está como fazê-lo:

    1. Importe o seu con­jun­to de dados (URLs, etc.) no Google Sheets
    2. Destaque todos os dados
    3. Clique com o botão dire­ito e sele­cione “Ran­dom­izar intervalo”

    Isto tor­na aleatória a ordem dos URLs, o que sig­nifi­ca que ago­ra pode usar uma per­cent­agem deles como o seu grupo de variantes.

    4. Decida sobre a duração do teste

    Saber por quan­to tem­po exe­cu­tar um teste pode ser difí­cil, mas é basi­ca­mente o tem­po necessário para reunir uma quan­ti­dade razoáv­el de dados. Isto pode durar de alguns dias a alguns meses. Depende de quan­to tráfego obtém e de quan­tas pági­nas tem.

    Aqui estão algu­mas dicas:

    • Exe­cute o teste por tem­po sufi­ciente para que o Google ras­treie nova­mente as pági­nas no seu grupo de vari­antes. Não pode atribuir quais­quer flu­tu­ações no tráfego ou posições às suas alter­ações, a menos que as pági­nas ten­ham sido ras­treadas novamente.
    • Exe­cute o teste por tem­po sufi­ciente de for­ma a obter uma quan­ti­dade razoáv­el de tráfego para as suas pági­nas. Não tire nen­hu­ma con­clusão até que as suas pági­nas ten­ham rece­bido tráfego sig­ni­fica­ti­vo, pois provavel­mente serão esta­tis­ti­ca­mente insignificantes.

    Se não tiv­er a certeza de quan­to tem­po deve durar, recomen­do começar com um mês. Pode deixar o teste em exe­cução por mais tem­po se pre­cis­ar de mais dados.

    5. Decida como rastrear os resultados do teste

    Antes de faz­er alter­ações no seu web­site, pre­cisa de ras­trear os resul­ta­dos. A maneira mais fácil de faz­er isto é usar uma fer­ra­men­ta de teste de SEO. Este conec­ta-se à sua con­ta do Google Search Con­sole e ras­treia os resultados.

    Mas pode ras­trear os resul­ta­dos man­ual­mente, se preferir.

    Se quis­er tes­tar as mudanças no tráfego orgâni­co, use o Google Search Con­sole ou o Google Ana­lyt­ics. Bas­ta com­parar as difer­enças médias no tráfego para os dois gru­pos no perío­do antes e depois das alterações.

    Se quis­er tes­tar as alter­ações na CTR, use o Google Search Con­sole e com­pare as alter­ações médias.

    Se dese­ja ras­trear mudanças nas posições orgâni­cas, use o Google Search Con­sole ou uma fer­ra­men­ta de ras­treio de posi­ciona­men­to como o Mon­i­tor de Posições da Ahrefs. A últi­ma é sem dúvi­da a mel­hor opção porque dá posições reais de posi­ciona­men­to — não ape­nas médias.

    Para con­fig­u­rar isto no Mon­i­tor de Posições da Ahrefs, adi­cione e mar­que dois lotes de palavras-chave:

    1. Palavras-chave do grupo de con­tro­lo mar­cadas como “con­tro­lo”
    2. Palavras-chave do grupo de vari­antes mar­cadas como “vari­antes”

    Pode então ver as posições médias de posi­ciona­men­to para as palavras-chave em cada grupo no relatório de tags:

    6. Faça as mudanças

    Final­mente é hora de imple­men­tar o seu teste AB. Aqui estão algu­mas dicas para faz­er isso:

    • Não faça alter­ações nas pági­nas do grupo de con­tro­lo. É chama­do de grupo de con­tro­lo por um moti­vo; é a amostra con­tra a qual avaliará o impacto da sua mudança.
    • Altere ape­nas uma var­iáv­el. Se mudar várias coisas, terá prob­le­mas para desco­brir se foi uma ou uma com­bi­nação de coisas que levaram ao resultado.
    • Man­ten­ha um reg­is­to das alter­ações feitas e da data em que as fez.
    • Cer­ti­fique-se de ter uma maneira de voltar atrás. Pre­cis­ará de faz­er isso se o seu teste de SEO pro­duzir um resul­ta­do incon­clu­si­vo ou negativo.
    • Não teste coisas inúteis. Se pode imple­men­tar de for­ma ráp­i­da e fácil uma práti­ca recomen­da­da de SEO, não se pre­ocupe em testá-la — execute‑a.

    7. Verifique os resultados

    Se estiv­er a usar uma fer­ra­men­ta de teste, provavel­mente pro­duzirá bons grá­fi­cos para anal­is­ar quan­do o teste terminar:

    Via SEOtesting.com

    Caso con­trário, pode avaliar o resul­ta­do do seu teste man­ual­mente usan­do o Google Ana­lyt­ics (se estiv­er a tes­tar as alter­ações no tráfego), o Google Search Con­sole (se estiv­er a tes­tar as alter­ações no tráfego, posi­ciona­men­tos ou CTR) ou uma posição fer­ra­men­ta de ras­treio (se estiv­er a tes­tar as mudanças nos posicionamentos). 

    Se estiv­er a tes­tar as mudanças nos posi­ciona­men­tos e tudo estiv­er con­fig­u­ra­do no Mon­i­tor de Posições da Ahrefs, con­forme mostra­do na eta­pa cin­co, pode ver as mudanças na vis­i­bil­i­dade da palavra-chave ras­trea­da des­de o iní­cio do seu teste no relatório de tags. Bas­ta escol­her a moldu­ra de tempo.

    Toda a gente dev­e­ria exe­cu­tar difer­entes testes de SEO, depen­den­do dos seus obje­tivos de SEO. Mas vamos dar uma vista de olhos em alguns exem­p­los de testes comuns para apro­fun­dar o proces­so em causa.

    1. Testar o impacto das alterações da tag de título na CTR para produtos de comércio eletrónico ou páginas de categoria

    Como as eti­que­tas de títu­lo apare­cem nos resul­ta­dos da pesquisa, estas podem afe­tar as taxas de cliques (CTR) das suas pági­nas. Se usar a mes­ma fór­mu­la para todas as pági­nas de pro­du­to ou cat­e­go­ria, como a maio­r­ia dos web­sites de comér­cio eletróni­co, tes­tar o impacto de uma fór­mu­la difer­ente na CTR é bas­tante simples.

    Como testar

    Sele­cione diver­sas pági­nas de cat­e­go­ria de comér­cio eletróni­co que obtêm uma quan­ti­dade razoáv­el de tráfego orgâni­co, escol­ha uma amostra aleatória e altere a fór­mu­la da tag de títu­lo nes­sas páginas.

    Por exem­p­lo, dig­amos que a sua fór­mu­la atu­al para pági­nas de pro­du­tos seja:

    [Nome do pro­du­to] | [Mar­ca]

    Pode quer­er tes­tar se adi­cionar “Entre­ga gra­tui­ta” mel­ho­ra a CTR:

    [Nome do pro­du­to] — Entre­ga gra­tui­ta | [Mar­ca]

    Como medir

    Use o Google Search Con­sole para com­parar a CTR média das pági­nas em ambos os gru­pos no perío­do antes e depois das mudanças.

    Nota adi­cional.
    Provavel­mente, pre­cis­ará de expor­tar estes dados para uma planil­ha ou Google Data Stu­dio, pois os fil­tros no Search Con­sole deix­am muito a desejar. 

    2. Testando o impacto de uma ferramenta de otimização de conteúdo nas posições de publicações de blogs

    Muitos profis­sion­ais de SEO con­fi­am nas fer­ra­men­tas de otimiza­ção de con­teú­do, mas muitos out­ros não. Se acred­i­ta que pode haver algo nes­ta abor­dagem, porque não testá-la?

    Como testar

    Sele­cione um monte de pub­li­cações de blog que obtêm uma quan­ti­dade razoáv­el de tráfego orgâni­co e se posi­cionam entre as 10 primeiras para as suas prin­ci­pais palavras-chave alvo, sele­cione uma amostra aleatória e “otimize” essas pub­li­cações com uma fer­ra­men­ta de otimiza­ção de conteúdo.

    Veja como encon­trar estas pub­li­cações de blog no Mon­i­tor de Posições da Ahrefs:

    1. Escol­ha o seu projeto
    2. Vá ao relatório de Páginas
    3. Fil­tre pelas 10 primeiras posições
    4. Fil­tre por pági­nas com pelo menos [x] tráfego orgâni­co esti­ma­do men­sal de palavras-chave rastreadas
    5. Exporte os resultados

    Como medir

    Use o Mon­i­tor de Posições da Ahrefs para com­parar a vis­i­bil­i­dade média para palavras-chave ras­treadas em cada grupo nas datas de iní­cio e tér­mi­no do teste, con­forme expli­ca­do na eta­pa cinco.

    Nota adi­cional.
    Lem­bre-se de mar­car palavras-chave como gru­pos de con­tro­lo e de teste no Mon­i­tor de Posições no iní­cio do seu teste.

    3. Testar o impacto da adição de conteúdo compatível com trechos nas posições de trechos em destaque nas publicações do blog

    O posi­ciona­men­to em tre­chos desta­ca­dos geral­mente gera mais cliques. Por­tan­to, se tem pub­li­cações de blog focadas e posi­cionadas em palavras-chave que acionam tre­chos em destaque, porque não tes­tar a sua capaci­dade de conquistá-los?

    Como testar

    Sele­cione um monte de pub­li­cações de blog que obtêm uma quan­ti­dade razoáv­el de tráfego orgâni­co e que se posi­cionam entre as 10 primeiras para palavras-chave que acionam partes em destaque, sele­cione uma amostra aleatória e, em segui­da, adi­cione con­teú­do ade­qua­do a tre­chos a essas publicações.

    Veja como encon­trar essas pub­li­cações no Explo­rador de web­sites da Ahrefs:

    1. Insira o seu blog/website no Explo­rador de websites
    2. Vá ao relatório de Palavras-chave Orgâni­cas 2.0
    3. Fil­tre pelas 10 primeiras posições
    4. Fil­tre por palavras-chave que envi­am pelo menos [x] tráfego orgâni­co esti­ma­do men­salmente (para que sai­ba que as pági­nas recebem uma quan­ti­dade razoáv­el de tráfego)
    5. Fil­tre por tre­chos em destaque que não possua
    6. Exporte os resultados

    Como medir

    Use o Mon­i­tor de Posições da Ahrefs para com­parar o número de tre­chos em destaque de pro­priedade para palavras-chave ras­treadas em cada grupo nas datas de iní­cio e tér­mi­no do teste.

    Nota adi­cional.
    Lem­bre-se de mar­car as suas palavras-chave como gru­pos de con­tro­lo e vari­antes no Mon­i­tor de Posições no iní­cio do teste.

    Pensamentos finais

    Para man­ter este arti­go o mais sim­ples pos­sív­el, evitei inten­cional­mente a questão da sig­nificân­cia estatís­ti­ca. Isto pode ficar bem com­pli­ca­do muito rápi­do, mas é basi­ca­mente uma maneira de provar que os resul­ta­dos de um teste de SEO são con­fiáveis ​​e que há uma alta prob­a­bil­i­dade de uma relação causal entre a mudança e o resul­ta­do. Por out­ras palavras, o que quer que ten­ha acon­te­ci­do (ou não) é improváv­el que ten­ha sido por acaso.

    Não estou ciente de nen­hu­ma fer­ra­men­ta de teste de SEO que cal­cule isso. Por­tan­to, deixe-me reit­er­ar o meu con­sel­ho ante­ri­or: não exe­cute testes de SEO a menos que o seu web­site rece­ba muito tráfego.

    Se estiv­er a exe­cu­tar testes e a tirar con­clusões após ape­nas algu­mas cen­te­nas de vis­i­tas, é prováv­el que os resul­ta­dos não sejam esta­tis­ti­ca­mente significativos. 

    Tem per­gun­tas? Diga-me no Twit­ter.